Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós

Guia Michelin Portugal 2019 (Apostas?)

IMG_0649.jpg

 

Já há uns anos que é tradição no Só entre nós fazer previsões para o Guia Michelin de Portugal. Este ano não poderia ser exceção. Depois das:

Apostas em 2017 / Apostas em 2016 / Apostas em 2015

Chegou a vez de fazer as previsões para o Guia Michelin Portugal 2019.

Antes de mais, eis a lista atual das estrelas Michelin 2018:

**
- Belcanto (Lisboa), José Avillez 
- Il Gallo d’Oro (Funchal, Madeira) - Benoît Sinthon
- Ocean (Armação de Pêra), Hans Neuner
- The Yeatman (Vila Nova de Gaia), Ricardo Costa
- Vila Joya (Albufeira), Dieter Koshina

*
- Gusto by Heinz Beck (Almancil), Heinz Beck e Daniele Pirillo
- Vista Restaurant (Portimão), João Oliveira
- Alma (Lisboa), Henrique Sá Pessoa
- Antiqvvm (Porto), Vitor Matos
- Bon Bon (Carvoeiro), Louis Anjos
- Largo do Paço (Amarante), Tiago Bonito
- Casa de Chá da Boa Nova (Leça da Palmeira), Rui Paula
- Eleven (Lisboa), Joachim Koerper
- Feitoria (Lisboa), João Rodrigues
- Fortaleza do Guincho (Cascais), Miguel Vieira
- Henrique Leis (Almancil), Henrique Leis
- LAB (Penha Longa, Sintra), Sergi Arola
- L’And Vineyards (Montemor-o-Novo, Alentejo), Miguel Laffan
- Loco (Lisboa), Alexandre Silva
- Pedro Lemos (Porto), Pedro Lemos
- São Gabriel (Almancil), Leonel Pereira
- William ( Funchal, Madeira), Luís Pestana
- Willie’s (Vilamoura), Willie Wurger

 

E agora as previsões:

- Belcanto - Uma das maiores dúvidas do ano respeita a uma eventual terceira estrela Michelin. Dos 2 estrelas existentes, não conheço o Il Gallo d'Oro nem o Ocean, mas pelo que posso ler só dois é que estão mais próximos de alcançar a terceira estrela - Ocean e Belcanto. Quanto ao Belcanto, o único destes dois que conheço, já tive a oportunidade de lá ir algumas vezes e, face ao apresentado e em comparação com outros 3 estrelas, não me espantaria se o Belcanto recebesse a terceira estrela. Nem seria injusto. A questão nem é se vai receber, é mais quando. E tendo em conta que Portugal nunca teve tanto na moda como agora, e o guia será finalmente apresentado por Portugal, parece-me fazer sentido que este fosse o ano em que o Avillez conseguia o feito de ter o primeiro restaurante com 3 estrelas em Portugal. Porém, e pelas declarações que encontrei recentemente na internet, este não será o ano. Como tal, aposto que não existirão upgrades nos 2 estrelas atuais.

- Feitoria - Para mim é a maior injustiça do guia Michelin em Portugal. E sei que não sou o único a pensar desta forma. A sério que gostava de saber quais as razões para não ter a segunda estrela. Ou mesmo a terceira. Para mim é o melhor restaurante em Portugal e tem o melhor Chef. Comida e serviço ao mais alto nível e está vários degraus acima de muitos restaurantes nacionais com 1 estrela (e até nacionais com 2 estrelas). Se o Feitoria só merece uma estrela, então há restaurantes nacionais que têm de a perder. Assim não faz sentido. Dizem os rumores que o Feitoria vai permanecer com 1 estrela. Pois eu não acredito e aposto na segunda, fazendo-se justiça.

- Euskalduna - 1ª estrela para o Euskalduna. Experiência excecional. Dizem que não recebe, mas contrario a previsão e aposto na conquista da estrela.

- Epur consegue, apesar da recente abertura, a estrela.

- Tal como o Prado.

- Não devem constar dos possíveis estrelados, mas a meu ver, e em comparação com outros restaurantes distinguidos, entendo que tanto o Pesca, como a Taberna Fina, poderiam receber igualmente 1 estrela pela qualidade do que é servido. 

- Quanto a perdas, existem dois 1 estrela que, a meu ver, não apresentam qualidade suficiente para entrar neste campeonato, mas duvido que as percam.

E vocês, o que acham? Será a apresentação do guia em Portugal um sinal de que este será um ano excecional para Portugal? Ou foi apenas o resultado da pressão cada vez maior, e do destaque que Portugal tem tido internacionalmente, sem que isso signifique grandes mudanças no guia?

Acima de tudo o que eu mais gostava era que as estrelas fizessem sentido. Que todos os 1 estrela estivessem no mesmo campeonato, o que não acontece. Que todos aqueles que têm comida com qualidade para receber a primeira estrela a recebessem, independentemente do tipo de serviço ou do espaço. Que houvesse realmente os mesmos critérios em Portugal e Espanha. E nos outros países (em vez de termos restaurantes de banca de rua na Ásia com uma estrela e depois termos cá restaurantes espetaculares em qualquer estrela). 

Já só falta uma semana para ser tudo desvendado. Vamos a apostas? 

*A foto que ilustra o post foi tirada no Esporão, restaurante que acabou por não receber a estrela o ano passado, ao contrário do que achava. Com as "recentes" mudanças, não coloco o Esporão na lista de possíveis estrelados deste ano. Mas não restam dúvidas que o Carlos de Albuquerque está cada vez mais forte, e que os pratos servidos são muitíssimo bons, criativos e muito bonitos. Quem sabe para o ano...

3 comentários

Comentar post