Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Turismo gastronómico

 

A propósito do post de ontem, sobre a abertura do sexto restaurante de José Avillez, recupero a notícia do Dinheiro Vivo pela referência ao número de turistas que vão aos restaurantes de José Avillez. Refere o Chef que os estrangeiros representam metade dos clientes dos seus restaurantes (85% da clientela, durante o verão, no caso do Belcanto), percentagem essa que será ainda maior nos próximos tempos. Ora, apesar de, até agora, desconhecer em concreto os números, esta era uma questão que me interessava já há algum tempo, pois sempre que vamos ao Cantinho do Avillez observamos como muitas mesas têm estrangeiros, em vez de portugueses, sucedendo o mesmo no Belcanto. 

 

José Avillez tem uma explicação - o New York Times publicou, há dois anos, uma peça que recomendava o Belcanto e o Cantinho do Avillez como dois dos quatro restaurantes a não perder em Lisboa, e essa recomendação foi suficiente para que, em dois dias, os seus restaurantes fossem "invadidos" por norte-americanos, como se mantém até hoje. A juntar aos norte-americanos, brasileiros, franceses e oriundos do norte da Europa e Ásia também enchem muitas das mesas disponíveis.

 

Será então por causa do NYT, e outras publicações semelhantes, que muitos são aqueles que já trazem os nomes dos restaurantes de Avillez apontados numa lista a não perder. No fundo, tal como ultimamente faço quando viajo. Já vou com ideias de restaurantes a visitar.

 

De certa forma, trata-se de um turismo gastronómico, que concentra cada vez mais entusiastas. Viaja-se, essencialmente, para conhecer os locais, seus monumentos e locais de interesse, mas também para experimentar o que de melhor se vai fazendo a nível gastronómico em cada país. Porque também se conhece e aprende muito dos países que visitamos a partir da sua culinária.

 

Por fim, deixo o link para uma entrevista muito interessante, feita há dias por Maria João Avillez ao seu primo.

{#emotions_dlg.blink}