Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Toda a verdade sobre recém-nascidos #5 - Viver em surdina

image.jpg

 

Depois do bebé nascer, parece que o volume sonoro, em geral, aumentou. Soa estranho?

 

Eu explico melhor... A televisão, com o volume no mínimo, berra (e não apenas com a Cristina Ferreira no ecrã). Arrumar a loiça lavada (sobretudo os talheres) perfura qualquer tímpano. Os vizinhos de cima, que nem sabíamos que existiam, agora deixam cair tudo a cada passo. O microondas, a esterilizar biberões em loop, é pior que um avião em pleno voo. Os vidros duplos das janelas deixaram de abafar os sons da rua. O toque do telefone soa a concerto de rock. Uma torneira aberta é uma cascata. A descarga do autoclismo é um autêntico dilúvio. Os chinelos de quarto fazem mais barulho que botas de salto alto.

 

Isto constitui um problema enorme nas nossas vidas... Porquê? É que depois da árdua tarefa de adormecer o bebé e pousá-lo no berço sem que se desperte, qualquer esforço é válido na tentativa de que aguente assim até à próxima mamada. Se tiver de ser, desliga-se a televisão, sussurra-se em vez de falarmos normalmente, adia-se a lavagem da roupa, dispensa-se o banho (em último caso), aguenta-use o xixi e partilham-se as descargas do autoclismo para fazer barulho de uma só vez, fecham-se todas as janelas (nem que o ar ambiente esteja irrespirável e lá fora sopre uma brisa refrescante), põem-se os telemóveis em modo voo (não há mais chamadas urgentes), desliga-se a campainha, andamos descalços, se possível até levitamos... E, se pudéssemos, comprávamos o prédio todo só para não haver mais nenhum barulho da vizinhança.

 

E depois deste esforço todo, verificamos que, quando o bebé dorme de verdade, não há barulho que o perturbe. No carro, a música pode estar aos berros que ele não ouve. Na rua, os carros podem buzinar à vontade. Quando temos visitas, podem falar alto e todos ao mesmo tempo. Quando dorme de verdade, nem um tremor de terra o abala!!! Só entre nós, estamos mesmo maluquinhos de todo...

 

Leia também:

Toda a verdade sobre recém-nascidos #1 - A amamentação

Toda a verdade sobre recém-nascidos #2 - As noites

Toda a verdade sobre recém-nascidos #3 - Quem tem medo do lobo mau?

Toda a verdade sobre recém-nascidos #4 - Viver na penumbra

2 comentários

Comentar post