Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Acessórios para um homem de fato e gravata

Look da semana.jpg

 

Há quase 9 anos que visto diariamente fato e gravata. Com exceção dos fins de semana, é esta a minha "farda". 

 

E a ideia que muitos têm de que é aborrecido vestir fato e gravata diariamente não podia estar mais errada. Principalmente agora, que não faltam acessórios e variedade para complementar um fato e gravata.

 

Botão.png

 

Sempre gostei de botões de punho e relógios, e eram esses os únicos acessórios que usava (para além da gravata, cuja coleção pessoal já ultrapassa as 60 unidades). Mas recentemente "descobri" as molas de gravata (que tanta falta fazem, principalmente nestes dias de vento),  os alfinetes de lapela, os lenços de bolso e os suspensórios.

 

Suspen.png

 

Sim, aquele acessório "old fashioned" ou tendencialmente usado por pessoas mais gordas. Comecei a usar suspensórios no final do ano passado (por influência da personagem Aaron Shore em Designated Survivor) e agora praticamente não há dia em que não os use. E já se começa a ver a moda a reaparecer.

 

Cada vez há mais lojas que começam a dar destaque aos suspensórios. E aos lenços, alfinetes de lapela, molas de gravata...

 

Mesmo assim, nunca é fácil encontrar grande variedade. Felizmente descobri a TRENDHIM, loja online especialista em acessórios para homem e joalharia, e foi como se tivesse chegado ao paraíso dos acessórios.

 

Botões.jpg

 

Botões de punho? Há 337 botões diferentes em stock.

 

Alfinetes.jpg

 

Alfinetes de lapela? 199.

 

Gravatas.jpg

 

Gravatas? 380, de todas as cores possíveis!

 

Lenços.jpg

 

Lenços de bolso? 312 (!!!)

 

Suspensórios.jpg

 

Suspensórios? 65

 

Molas.jpg

 

Molas de gravata? 366!!

 

A variedade é tremenda. E o melhor de tudo é que os os envios são gratuitos, tal como as devoluções, dá para escolher por categoria e, dentro de cada uma, por cor (extremamente util!), entre outras opções. E ainda têm dicas para cada tipo de acessório ou "looks da semana".

 

Barba.jpg

 

Para terminar, resta dizer que a loja não se fica por estes acessórios Também vendem pulseiras, anéis, óculos de sol, malas, relógios, malas, chapéus, brincos, produtos para a barba... Enfim, tudo o que quiserem a TRENDHIM tem. E se subscreverem a newsletter, ainda têm acesso a descontos exclusivos. Simples. 

 

Eu não resisti e já encomendei alguns acessórios. Depois partilho por aqui. 

Sacos velhos, mas "de marca"

Shopng.jpg

 

Hoje ia na rua e à minha frente ia um senhor com um saco da Dolce & Gabbana num estado lastimável. As pegas estavam gastas e dois dos cantos inferiores do saco estavam quase rasgados. Não é a primeira vez que vejo algo assim (sacos de lojas de "luxo" como Burberry, Louis Vuitton, Hermès...) e acabo sempre por pensar no ridículo que isto é.

 

Eu até percebo que não queiram deitar fora estes sacos (eu confesso que faço o mesmo e estupidamente já tenho um saco enorme cheio destes sacos mais "especiais") e até posso entender que gostem de os utilizar e mostrar na rua, mesmo que lá dentro levem a marmita ou outra coisa qualquer que nada tem a ver com a marca publicitada no saco.

 

Mas será preciso usarem-nos até à exaustão?

 

Tudo bem, compraram uns sapatos Prada, o saco é lindo, é da Prada (!) e andarem com um saco da Prada na rua é quase como andarem com uma malinha da mesma marca ao ombro. Mas se o saco já não está com uma aparência nova (pelo contrário) tudo o que vai parecer é a realidade!! Compraram uma coisa na Prada (ou receberam algo dessa marca), provavelmente nunca mais terão outro saco da mesma marca, e só querem dar a entender que têm dinheiro para andar a gastar centenas de euros à hora do almoço na Avenida da Liberdade. 

 

Não faz sentido, ok? Os sacos da Zara servem perfeitamente para o efeito!

Onde é que eu já vi isto??

IMG_1965.JPG

 

Jarra à venda na Zara Home.

 

IMG_2053.JPG

 

Jarra da Bordallo Pinheiro, à venda na Vista Alegre.

 

Jarras.001.jpeg

 

Coincidência? É evidente que não.

Dubai Mall - O maior centro comercial do mundo

1.jpg

 

O Dubai Mall é o maior centro comercial do mundo. Está localizado no complexo Burj Khalifa, no Dubai, e foi inaugurado em 4 de Novembro de 2008, depois de, aproximadamente, 20 bilhões de dólares gastos com a sua construção.

 

2.jpg

 

3.jpg

 

4.jpg

 

5.jpg

 

Possui 1.200 lojas, hotel, 22 salas de cinemas e uma praça de alimentação com 280 restaurantes, sendo 160 só de fast-food.

 

6.jpg

 

7.jpg

 

 

A Abercrombie&Fitch vai mudar

o-ABERCROMBIE-STORE-facebook.jpg

   

É verdade. A Abercrombie&Fitch vai mudar. E muito.

 

Abercrombie--Fitch-04.jpg

 

Ginza-06.jpg

 

Vai deixar de haver modelos semi-nus à porta das loja, o marketing deixará de ser sexualizado, a "farda" dos funcionários vai ser substituída, as lojas vão passar a ser mais iluminadas, ter um cheiro menos intenso e, segundo fizeram constar, os funcionários vão deixar de ser escolhidos com base no tipo de corpo ou atração física.

  

 

Roupa das funcionárias de loja de roupa

get.jpeg

 

Na passada segunda feira escrevi sobre uma conversa que ouvi na Zara que me deixou surpreendido e indignado. Podem ler melhor aqui, mas em jeito de resumo, uma rapariga disse a uma funcionária da Zara que queria devolver uma saia que tinha usado uma noite para sair com uns amigos, porque não tinha gostado de se ver com ela. Saia essa que não tinha sido lavada depois da noite, conforme confessado pela rapariga. Contra todas as minhas expectativas, e depois de ser chamada a gerente, o dinheiro foi devolvido à rapariga, sem quaisquer problemas, e um alarme colocado de imediato na saia suja e usada.

 

Nos comentários, o/a LI deixou a seguinte pergunta:

"E a roupa que as funcionárias das lojas costumam usar, é delas ou da loja?"

 

Não sei responder à pergunta, e nunca tinha pensado nisso, mas depois do que ouvi, fiquei com curiosidade em saber. A roupa que as funcionárias (da Zara ou de outra loja semelhante) vestem é oferecida pelas lojas? Ou é depois lavada e colocada para vender, como se fosse uma peça nova acabada de chegar? Ou nem sequer é lavada e, somente, pendurada depois do dia de trabalho?

 

Trata-se apenas de uma curiosidade, mas, só entre nós, se alguém soubesse e pudesse responder, mesmo que de forma anónima, era muito bom.

Conversa improvável, na Zara

zara-front.jpg

 

Estava na fila de uma Zara, à espera da minha vez para pagar, quando ouço a seguinte conversa ao balcão entre cliente e funcionária:

 

"Boa tarde, eu queria devolver esta saia.", diz uma rapariga com não mais do que dezasseis anos, entregando uma mini-saia com lantejoulas na lateral.

"Com certeza. Tem o talão?", pergunta a funcionária.

"Sim, está aqui."

"Há algum problema com a saia?"

"Bem, eu usei-a para sair à noite com uns amigos, mas não gostei muito de me ver com ela."

 

Quando ouvi isso, pensei que o caso estava arrumado. Se a peça tinha sido usada, e não tinha etiqueta, nada havia a fazer.

 

"Usou-a?", perguntou a funcionária.

"Sim, mas foi só uma vez."

"Vou chamar a minha responsável."

Segundos depois, aparece a responsável, a quem a rapariga repete a história.

"Não gostei muito de me ver com ela, percebe?"

"E quer trocar?"

"Hã... Para ser sincera, eu quero é devolver. É que no dia seguinte fui logo comprar uma saia nova, e por isso... Além disso, eu só a usei uma noite. Só há um problema.", concluiu.

 

"Só" ter usado uma noite, pensei eu.

 

"É que eu não lavei a saia."

 

Nessa altura, acho que até nem consegui esconder o meu espanto. Comprou a saia, usou-a "só" uma noite, não a lavou, confessa isso tudo, e ainda tenta devolver o produto. No entanto, mais espantado fiquei com a resposta da funcionária responsável.

 

"Não há problema. Faz a devolução.", disse a responsável à colega, que imediatamente colocou um alarme na saia, pendurou num cabide e fez a devolução do dinheiro à rapariga.

 

Agora pergunto - isto é normal? É que comigo, o normal é que as funcionárias torçam sempre o nariz, mesmo quando as peças estão em perfeitas condições e o prazo não foi ultrapassado. E tenho a certeza que nunca conseguiria a devolução de uma peça de roupa usada, principalmente depois de o confessar.

 

Portanto, será que o problema é meu? A rapariga teve sorte? As funcionárias daquela Zara são muito simpáticas? Ou é política da Zara aceitar quaisquer produtos, mesmo depois de usados?

 

E é normal aceitar um produto que o cliente diz que usou "só" uma noite, colocar imediatamente o alarme e pendurar num cabide? Não deveria ser primeiro lavada?

Em protesto contra o volume da música nas lojas

Bershka-Bolonia-Italy_03.jpg

 

Trabalhadores da Zara e Bershka protestam por causa de cartões de refeição e música das lojas

 

Ora segundo notícia do Público, trabalhadores do grupo Inditex – dono de marcas como a Zara, Pull and Bear, Bershka e Massimo Duti – fizeram um protesto simbólico junto da empresa contra, entre outros motivos, o volume da música em algumas lojas.

 

“Entra-se na Bershka e percebe-se que parece uma discoteca”, acusa o sindicalista, argumentando que isto causa problemas de falta de concentração, fadiga e irritação dos funcionários. E, acrescento eu, incomoda imenso muitos dos clientes.

 

Infelizmente, as lojas do grupo Inditex não são a exceção. Muitas são as lojas cujo volume da música está, constantemente, acima do desejável. A vontade, assim que se entra, chega a ser de sair imediatamente, sob pena de se ficar com uma dor de cabeça para o resto do dia. Sem falar no tipo de música escolhida, que tantas vezes não tem nada a ver com o estilo da marca...

 

Seja imposição da marca, ou decisão dos funcionários, certo é que é necessário distinguir os locais, e não tentar transformar a experiência de comprar roupa numa ida a uma discoteca onde, por acaso, são vendidas umas peças de roupa. Nalguns locais, só faltam mesmo as luzes especiais e um bar.

Flores? Para mim? Ohhhhhh...

 

A propósito do post de segunda-feira, lembrei-me de uma situação caricata que aconteceu comigo há uns meses. Com um ramo de flores na mão, entrei na Arcádia para comprar chocolate. Assim que entrei, a funcionária que estava ao balcão começou a chamar uma colega. "Vem cá depressa! Rápido!", sussurrou.

 

A colega apareceu e eu, que estava com o ramo de flores na mão e a olhar para as prateleiras à procura do chocolate que queria, ouvi:

 

"Devem ser do teu namorado!"

 

Confesso que, durante uns segundos, fiquei de boca aberta com tamanha confusão. Eu não sei como é que costumam andar os homens que fazem entregas de flores, mas ficaria admirado se me dissessem que andam de fato e gravata... Logo por aí, acho que seria de concluir que eu era um cliente normal e que não ia entregar flores. Além disso, entrei e fui ver os produtos à venda. Ora se estivesse a entregar flores, não perdia tempo a olhar para os chocolates.

 

Mas não. Para elas, era um funcionário de uma florista, ou de uma empresa de estafetas, vestido de fato e gravata, e andava a ver chocolates para oferecer a alguém, antes de entregar o ramo do namorado apaixonado à funcionária sortuda.

 

Com o chocolate escolhido, caminhei para o balcão e olhei para os sorrisos de orelha a orelha estampados nas caras das duas funcionárias. Uma, devia estar encantada com o romantismo do namorado da outra, e invejosa com tamanho ato de amor. A outra, devia estar a pensar como era tão feliz por ser surpreendida com um ramo de flores durante o trabalho.

 

Assim que pousei o chocolate no balcão, e mantive o ramo na minha mão, a expressão das duas mudou drasticamente e, ao sair, pude ouvir as duas a comentar como afinal o não sei quantos não era romântico.

 

Acontece-me cada uma...

{#emotions_dlg.blink}

Luxo 24

 

Só entre nós, se estão a pensar comprar alguma coisa na Luxo 24 para oferecer a alguém, façam uma encomenda com, pelo menos, um mês de antecedência. Uma pessoa minha conhecida já me tinha avisado que era assim. Contou-me que tinha comprado um relógio para o marido para o Natal e só o recebeu no ano seguinte. Mas pensei que fosse por causa da época, e ignorei.

 

Porém, aconteceu-me recentemente a mesma coisa. Apesar de ter encomendado com algumas semanas de antecedência, a data prevista passou e a prenda não chegou.

 

Por isso, e se querem um conselho, vejam bem primeiro as datas previstas para entrega (atenção que nos produtos em campanha as datas são diferentes) e acrescentem mais duas ou três semanas.

{#emotions_dlg.blink}