Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Está tudo louco na estrela Michelin Alentejana

18757490_iegYR.jpeg

 

As minhas experiências no L'And, o único restaurante com um estrela Michelin no Alentejo, nunca foram extraordinárias (último post aqui). 

 

Mas a reconquista da estrela dava curiosidade em ir ver como estava entretanto o serviço e a criatividade na cozinha. 

 

Telefonei para lá e fiquei a saber:

  • que o restaurante não está aberto para o público todos os dias;
  • e que mesmo nos dias em que supostamente está aberto, depende da ocupação do hotel onde está inserido o L'And.

 

Em concreto, foi-me dito que no dia que queria ir o restaurante supostamente estaria aberto, mas como o hotel estava com quase todos os quartos reservados, não podiam aceitar reservas para o restaurante por parte de não hóspedes. Tinham de ter mesas disponíveis para os hóspedes.

 

Mais fiquei a saber que para aquele dia ainda não havia reservas de hóspedes para o restaurante, mas podia vir a haver, por isso não dava para mim. 

 

Ou seja, no L'And preferem passar um dia inteiro com a sala praticamente vazia, para poderem ter mesas para hóspedes que não sabem se querem ou não comer lá, em vez de garantirem logo casa cheia com quem quiser reservar. 

 

Não sei se os responsáveis pelo L'And estão loucos, ou se eu que estou errado, mas sei que por mim não contam comigo para lá voltar. Principalmente depois de ouvir:

"Faça assim. Vá telefonando para saber como está a ocupação do hotel e assim pode ser que consiga um dia para cá vir comer."

 

Começo a recear que isto se alastre aos outros restaurantes de hotéis (se é que já não acontece algo semelhante noutros locais). É que bloquear mesas para hóspedes, até faz sentido. Mas bloquear uma sala inteira já é demais. 

20 novidades e desejos gastronómicos para 2017

19838948_eZH8H.jpeg

 

O ano de 2016 foi ótimo para Portugal no que respeita à gastronomia, mas tudo indica que 2017 será ainda melhor. Aqui ficam 20 novidades e desejos gastronómicos para 2017 (sem nenhuma ordem especial):

 

1. Depois da Mercearia, da Taberna e do Páteo, vai ser inaugurado mais um espaço dentro do Bairro do Avillez. Já nos levantaram a ponta do véu, mas como ainda é segredo, prometemos guardá-lo religiosamente (fica a dica e para bom entendedor, meia palavra basta). 

 

2. Em junho, julho, o grande Chef Kiko Martins (que nunca pára) vai abrir um novo restaurante, com um novo conceito. Chama-se Watt e fica no piso térreo da sede da EDP. Depois do Talho, Cevicheria e Asiático, só se pode esperar algo igualmente muito bom.

 

3. Se tudo correr bem, dentro de poucas semanas Henrique Sá Pessoa vai inaugurar o Tapisco no Príncipe Real. Como o nome indica, terá tapas e petiscos, um ambiente acolhedor, informal, com a tradicional barra e comida deliciosa, ou não fosse da responsabilidade de um dos melhores Chefs nacionais. Tivemos a oportunidade de falar pessoalmente com o Chef Henrique Sá Pessoa há umas semanas sobre este novo projeto e ficámos encantados.

 

4. O Leopold vai, finalmente, reabrir as suas portas já este mês, deixando a Mouraria e abraçando o novo projeto no magnífico Palácio Belmonte. Quem acompanha o Só entre nós sabe bem o que achámos do restaurante Leopold, mas isso não quer dizer que não veja com bons olhos esta reabertura e até tenha alguma curiosidade em visitá-lo.

 

5. Marlene Vieira vai voltar a ter um restaurante "fine dining" (graças a Deus)! Poderemos finalmente voltar a provar as suas criações, depois de um Avenue que deixou saudades. Marlene Vieira e João Sá vão então abrir o Verso, no Largo de Camões, em princípio na primeira metade do ano.

 

6. Fala-se muito no regresso de Leonardo Pereira. E depois da nossa espetacular experiência no Areias do Seixo, espero mesmo que se concretize o novo projeto já em 2017.

 

7. Certo é o novo projeto do (cada vez mais) português e italiano Tanka Sapkota. É já em janeiro, segue os sabores italianos do Come Prima e Forno d'Oro, e promete muito.

 

8. A propósito de sabores italianos, parece que Jamie Oliver vai mesmo abrir um restaurante em maio no Príncipe Real. Só falta saber se será um Recipease, Jamie's Italian ou outra novidade.

 

9. O Terraço do Hotel Tivoli na Avenida da Liberdade vai reabrir com Tiago Bonito a comandar as tropas, depois de deixar a Pousada de Lisboa. Estivemos várias vezes para lá ir em 2016, mas nunca se concretizou. Parece que agora teremos de ir à Avenida para provar as criações de Tiago Bonito. 

 

10. Ao estilo do futebol, houve uma contratação do Chef Diogo Noronha por parte do grupo Multifood ao grupo Mainside. O resultado será a abertura já este ano de um novo restaurante no... Príncipe Real, claro. 

 

11. Ainda nas contratações, Portugal contratou novamente Vincent Farges. E que bom negócio. Pior para as Caraíbas. O restaurante ficará no Chiado e deverá abrir nos próximos meses. 

 

12. Para quem gosta de comida do Médio Oriente também há boas notícias, com a abertura do Mezze em LIsboa. A não perder. 

 

13. Mais uns desejos. Espero, sinceramente, que se continue a fazer justiça no campo das estrelas Michelin, e que 2017 continue o bom caminho do ano passado, com a atribuição de mais estrelas a restaurantes portugueses. A quantidade interessa, como é óbvio, mas mais importante é que haja justiça nas estrelas atribuídas, o que ainda não há.

 

14. E, já agora, gostava mesmo que a cerimónia do Guia fosse (finalmente) realizada em Portugal.

 

15. Ainda no campo das estrelas, os meus desejos - Que o Belcanto atinja o patamar necessário para lutar pela terceira estrela michelin.

 

16. Que o Feitoria, de João Rodrigues, receba a segunda estrela (não faz sentido que não a tenha).

 

17. Que o Guia acorde do sono profundo em que se encontra e dê a estrela ao Esporão de Pedro Pena Bastos.

 

18. Que o mesmo aconteça com o Ferrugem de Renato Cunha.

 

19. E que a Casa de Chá da Boa Nova suba mais um degrau no guia. Bem merece. Foi uma das melhores surpresas de 2016.

 

20. Por fim, espero que surjam mais restaurantes que nos deixem tão rendidos e apaixonados, como acontece sempre que vamos ao Alma. 

 

Feliz Ano Novo para todos!

Onze restaurantes num único post

Diapositivo1.JPG

 

Há restaurantes cujas críticas estão na minha pasta de rascunhos há meses e não há forma de lhes dar uma publicação decente. Por isso, e apesar de todos, sem exceção, merecerem um post completo, com fotos dos pratos e dos espaços, como costumo fazer, tenho de ser honesto comigo mesmo e admitir que nunca o conseguirei fazer por falta de disponibilidade. Desta forma, segue uma lista de alguns restaurantes visitados nos últimos meses com comentários imparciais:

 

Old House.jpg

 

Restaurante The Old House, Lisboa - Espaço muitíssimo interessante, serviço razoável e comida verdadeiramente deliciosa. Para quem gosta de comida chinesa, ou melhor, da comida chinesa tradicionalmente servida em Portugal, atenção que esta não é igual. E tenham atenção ao picante. Se dizem que é muito picante, é porque é mesmo muito picante! A visitar e regressar.

 

Tágide.jpg

 

Tágide, Lisboa - Vista incrível para a cidade de Lisboa (mesmo incrível), serviço cuidado e atencioso, e comida sem surpreender (até porque não é esse o objetivo) mas muito bem confecionada e saborosa. Excelente trabalho do Chef Nuno Diniz.

 

Forno.jpg

 

Forno d'Oro, Lisboa - Há uns tempos escrevi aqui no blog que era no Forno d'Oro que se poderiam encontrar as melhores pizzas de Lisboa. Alguns meses e várias visitas depois, continuo a afirmar o mesmo. São mesmo as melhores pizzas. Ponto final.

 

Monverde.jpg

 

Monverde Wine Experience Hotel, Telões, Amarante - O hotel é lindo, como já escrevemos aqui, mas o restaurante também merece destaque. Bons preços, boa comida e serviço muito atencioso. 

 

Cantinho.jpg

 

Cantinho do Avillez, Lisboa - O serviço já não é o que era (longe disso), com tempos de espera incríveis, funcionários que deixam muito a desejar e erros da cozinha, mas é o Cantinho, restaurante onde já fomos mais de 20 vezes (?) por isso não dá para não regressar.

 

Papa.jpg

 

Pap'Açôrda, Lisboa - Tinha tudo para ser espetacular. Espaço engraçado, boa localização, muitos anos de experiência, expectativas altas, mas saiu tudo um pouco ao lado... O espaço é giro, mas acaba por ser frio (na decoração e no sentido literal da palavra, com um gelo a entrar pela sala cada vez que abrem as gigantescas portas), as moscas aproveitam as portas e entram, passando a refeição a voar sobre as cabeças dos clientes, e os tempos de espera são horríveis. Mas a comida é mesmo boa. Vale por isso. 

 

A Maria.jpeg

 

A Maria, Alandroal - Passam os anos e a qualidade não diminuiu. A Maria é um porto abrigo, um restaurante onde podemos ter sempre a certeza que vamos comer muito (mesmo muito) bem, e os seus responsáveis, a própria Maria e o seu marido Cândido, recebem sempre todos como se fossem amigos de longa data. A não perder. 

 

Steak.jpg

 

Steak 'n Shake, Montijo - Os famosos steakburger chegaram a Portugal e ainda bem. Excelentes propostas, ótima carne e milkshakes igualmente deliciosos. Ótima sugestão para uma refeição mais casual e rápida. 

 

Empada-de-Pato-Bravo.jpg

 

Jockey, Lisboa - Sempre que lá vou já sei de três coisas antecipadamente. Vou comer muitíssimo bem, vou ser atendido exemplarmente e vou passar a refeição a pensar "porque é que não proíbem de uma vez por todas o tabaco dentro dos restaurantes?" Se fosse proibido fumar já tinha regressado mais vezes. Sem sombra de dúvida.

 

baia-do-peixe-lisboa-marisco-89077.jpg

 

Baía do peixe, Lisboa - Restaurante simples, com serviço simples (e muito educado) onde o peixe e o marisco são reis, não só na ementa mas também no sabor. 

 

f5bbae4d-a0be-4c81-aec2-d7520690c381_LARGE.jpg

 

Barbatana, Lisboa - Muito bom e agradável. Não vale a pena escrever mais, passem por lá e poderão comprovar pessoalmente. 

No Alentejo come-se pessimamente mal!

alentejo.JPG

 

Há uns dias ouvi no meu local de trabalho:

"No Alentejo come-se pessimamente mal!"

Dei de imediato um salto da minha cadeira e fui ter com a pessoa em causa.

 

A frase não tinha sido dita em tom de ironia. Nem num tom natural. Tinha até sido proferida com algum desprezo, o que ainda me chocou mais. Todos têm direito à sua opinião (lembram-se daquele que disse que a comida portuguesa era horrível?), mas afirmar uma coisa destas merecia, pelo menos, uma justificação.

 

Enquanto me aproximava ouvi:

"Aquilo é horrível! Tudo cheio de gordura e a saber mal. E paga-se muito! São uns "careiros" e ainda servem comida que sabe mal."

 

Antes de continuar, deixem-me só referir que eu adoro o Alentejo (onde tenho casa de família) e considero que a riquíssima gastronomia alentejana é um verdadeiro tesouro nacional, como também o é a gastronomia de qualquer outra região portuguesa. Posto isto, e chegado ao local onde decorria a conversa, perguntei o que é que se estava a passar.

 

"Ela foi almoçar ao Alentejo e é claro que comeu mal...", disse a rir-se. "Do que é que ela estava à espera?"

"Como é que podes generalizar dessa forma?", perguntei.

"Ah, pelo menos é o que o meu marido diz. Que se come muito mal e levam imenso dinheiro. Ficamos sem nada na carteira e nada no estômago."

 

Depois de alguma troca de frases (não vale a pena perder muito tempo com pessoas assim) percebi o seguinte:

- a pessoa em questão almoçou apenas uma única vez no Alentejo;

- e contam-se pelos dedos de uma mão as vezes que o marido comeu num restaurante no Alentejo.

 

Perante isto, como é que se pode fazer uma afirmação destas, com tamanha leviandade e sem qualquer fundamento? Serei só eu a achar que isto é uma tristeza?

 

Conclusões gastronómicas de 2015

A surpresa (nacional)

18900939_SF7QP.jpeg

 

Ferrugem, Portela (Vila Nova de Famalicão) 

 

A certeza

18779137_IzDzD.jpeg

 

Eleven, Lisboa

 

O melhor (nacional)

IMG_1127.JPG

 

Alma, Lisboa

18920535_Tn76V.jpeg

 

The Yeatman, Vila Nova de Gaia

 

A desilusão (nacional)

18757492_OMy3b.jpeg

 

L'And, Montemor-o-Novo

 

A surpresa (internacional)

IMG_0395.JPG

 

Bodega 1900, Barcelona

 

O melhor (internacional)

19136667_WDhFf.jpeg

 

El Celler de Can Roca, Girona

 

A desilusão (internacional)

19025429_IbaKM.jpeg

 

Osteria Francescana, Modena

Estrelas Michelin Portugal 2016 - previsões

18920557_1fwUz.jpeg

 

Pequena pausa na semana da Osteria Francescana para comentar um dos assuntos do dia.

 

Não passam de previsões, mas não queria deixar de tentar antever parte do que vai acontecer hoje à noite, aquando da divulgação do Guia Michelin Portugal e Espanha para 2016:

 

- Belcanto, de José Avillez - apesar de merecer a terceira estrela, por estar ao mesmo nível que outros restaurantes com três estrelas, apesar de Lisboa "merecer" um três estrelas, e de não faltarem rumores nesse sentido, acredito que ainda não será este o ano. É injusto, mas seria uma ascensão muito repentina. Seja como for, já temos reservas feitas para celebrar uma eventual terceira estrela, ou a manutenção da segunda. Críticas ao restaurante aqui.

 

- L'And, de Miguel Laffan - o restaurante é bonito e a comida é boa, mas fiquei um pouco desiludido da última vez. Para além de que o serviço deixa muito a desejar. Por isso, prevejo a queda da estrela. Críticas ao restaurante aqui.

 

- Esporão, de Pedro Pena Bastos - um restaurante de altíssimo nível, que ganhou ainda mais com a entrada de Pedro Pena Bastos. Uma estrela Michelin seria mais do que merecida, e creio que poderá ser este o ano, mantendo-se desta forma uma estrela no Alentejo. Críticas ao restaurante aqui.

 

- Ferrugem, de Renato e Dalila Cunha - não há nada que justifique que o Ferrugem não tenha uma estrela. Serviço impecável, boa comida com alta criatividade, espaço agradável e nem a localização pode ser um entrave (quantos não são os estrelados que estão em sítios "improváveis"). Crítica ao restaurante aqui.

 

- The Yeatman, de Ricardo Costa - a vista é maravilhosa, mas a comida ainda é melhor, pelo que deverá receber a sua segunda estrela. Crítica ao restaurante aqui.

 

Outras previsões: fala-se na queda da estrela do Largo do Paço (crítica ao restaurante aqui) e da Fortaleza do Guincho, na terceira estrela para o Vila Joya (crítica ao restaurante aqui) ou ainda nas estrelas para o Gusto, Vista e Casa de Chá da Boa Nova.

 

Teremos de aguardar por logo à noite, mas espero sinceramente que Portugal receba o protagonismo (no que respeita a estrelas Michelin) que merece.

Esporão - Mais uma vez, onde é que está a estrela Michelin?

~1440682099~IMG_7861.jpg

 

Segunda visita ao restaurante da Herdade do Esporão, perto de Reguengos de Monsaraz, e a confirmação de que este é um restaurante a não perder e de que a pergunta feita aquando da primeira visita faz todo o sentido - Afinal, onde é que está a estrela Michelin?

 

Análises.png

 

Depois da nossa maravilhosa visita no início deste ano (que podem ler aqui), estava com algum receio perante a mudança de Chef. Mas a verdade é que o Chef Pedro Pena Bastos conseguiu algo que parecia impossível. Não se limitou a manter a qualidade do restaurante, mas elevou a fasquia para um nível muito superior, graças à conjugação dos sabores tradicionais alentejanos com elementos diferentes, fazendo da cozinha do Esporão uma cozinha criativa e, acima de tudo, muito inteligente.

 

O que só dá ainda mais força à pergunta já feita. Onde é que está a estrela? O espaço é muito bonito, tal como a envolvente, o serviço é muito bom (superior a alguns restaurantes com estrelas), não falta criatividade, a apresentação dos pratos é impecável e os sabores são excelentes.

 

Perante isto, o que é que falta? Um telefonema a convidar os jurados a aparecer (que segundo consta foi o que aconteceu nalguns casos nacionais e internacionais)? Então se só falta isso, façam mas é o telefonema, que o Chef Pedro Pena Bastos e a sua equipa merecem uma estrela.

 

~1440682115~IMG_7862.jpg

 

Couvert composto por dois tipos de pão (pão alentejano e pão cozido com vinho tinto, nozes e amêndoas), manteiga de vaca envelhecida com iogurte desidratado e degustação de quatro azeites da casa, ordenados de acordo com a respetiva intensidade (€3,00 por pessoa). Tudo delicioso. Só por esta degustação de azeites já se tem vontade de voltar.

 

~1440682152~IMG_7864.jpg

 

Antes das entradas, uma oferta do Chef - Tosta fina de cereais com queijo de ovelha de Serpa e ervas aromáticas - Sabores suaves, agradáveis e cuidada apresentação.

~1440682185~IMG_7868.jpg

 

Requeijão fumado, espargos verdes, ervilhas e alho preto crocante €10,00 - Não foi a minha escolha, e confesso que achei o sabor do requeijão fumado demasiado intenso para o meu gosto. Mas a minha querida mulher adorou, e isso é o mais importante. Excelente apresentação, tal como verificado ao longo da refeição.

~1440682169~IMG_7867.jpg

 

Cabeça de xara, couve lombarda, maçã e avelã €9,00 - Para quem não sabe, a cabeça de xara é um patê feito com as partes moles da cabeça do porco, com exceção do cérebro, e é típico da culinária do Alto Alentejo. Se isto vos faz impressão, esqueçam o que leram, porque este prato merece ser provado. O sabor da cabeça de xara, conjugado com a couve, maça e avelã é tão bom, que fez que com que este prato entrasse diretamente para o meu top de entradas. Dava mesmo vontade de pedir outro...

 

~1440682134~IMG_7863.jpg

 

Para acompanhar a cabeça de xara, foi-me recomendado um copo de Verdelho de 2014 €3,00, que só ajudou a realçar todos os sabores.

 

Passando para os pratos:

 

~1440682277~IMG_7875.jpg

 

Pato do campo, cerejas, beterraba, granola de sementes e folhas vermelhas €20,00 - Primeiro estranha-se (ao ler na ementa) e depois entranha-se. Muito bom.

 

~1440682264~IMG_7872.jpg

 

Porco preto Herdade do Esporão, mil folhas de batata, favas, copita e borras de licoroso €20,00 - Porco preto perfeito, crocante e delicioso mil folhas, intenso jus e borras de licoroso da Herdade do Esporão. Não era possível pedir mais.

 

~1440682247~IMG_7871.jpg

 

Lombo de novilho DOP, raiz de aipo, queijo serpa e cebolete €22,00 - O lombo de novilho estava divinal e o queijo de Serpa não anulava os outros elementos, graças a um equilíbrio muito bem conseguido pelo Chef. 

 

~1440682217~IMG_7870.jpg

 

Para acompanhar os pratos foram sugeridos dois vinhos - Syrah 2011 €7,50 (copo) e Esporão Reserva Tinto 2012 €5,00 (copo). E, mais uma vez, o sommelier acertou em cheio.

 

Passando para as sobremesas:

 

~1440682294~IMG_7878.jpg

 

Chocolate, magistra e pólen de abelha €7,50

 

~1440682305~IMG_7880.jpg

 

Beterraba, alperce, hortelã e noisette €7,50

 

Excelentes apresentações e excelentes sabores.

 

~1440682316~IMG_7881.jpg

 

Por fim, mais uma oferta do Chef - Bombom de late harvest - a terminar em beleza uma refeição ao mais alto nível. Só falta a estrela.

Pontuação de 0 a 10

Cozinha (50%) - 9,25

Serviço (25%) - 8,5

Ambiente (25%) - 9

Pontuação final - 9

 

Nota: A pontuação final não foi maior por um pormenor, que não pode deixar de ser tido em consideração. Ao chegar ao restaurante, e apesar de ter todas as provas de que tinha feito uma reserva, foi-me dito que não havia uma reserva em meu nome e que não havia mesas vagas. Ora nem uma coisa nem outra era verdade. A reserva estava feita, o restaurante nunca esteve cheio, com mesas livres desde que entrámos até à hora em que saímos, e tive que ser eu a insistir em ficar perante a desconfiança da funcionária da receção. Se não fosse a minha insistência, tínhamos ido embora apesar da reserva. Acredito que tenha sido um erro da receção, e não do restaurante (pois assim que a funcionária foi falar com o chefe de sala, fomos convidados a entrar), mas, seja como for, foi algo que poderia muito bem ter sido evitado. Se, por algum motivo, não se encontra a reserva, a resposta não deverá ser - o senhor não fez a reserva e não temos mesas. Tirando esse pequeno pormenor, tudo o resto esteve muitíssimo bem.

Turismo de habitação em Arraiolos

24.jpg

 

00.jpg

 

01.jpg

 

02.jpg

 

03.jpg

 

 

Restaurante L'and Vineyards, 1 estrela Michelin (2ª visita)

 

~1440589255~IMG_7582.jpg

  

Análises.png

 

Depois de uma ótima experiência no final do ano passado no restaurante do L'and Vineyards, um wine resort em Montemor-o-Novo, pertencente aos Small Luxury Hotels of the World, e detentor da única estrela Michelin no Alentejo, cuja análise completa podem ler aqui, decidimos regressar para atestar se a qualidade demonstrada da primeira vez se mantinha. E qual foi a conclusão?

 

Passemos primeiro pelos pratos.

 

~1440589270~IMG_7583.jpg

 

Couvert €6 - Azeite biológico de baixa acidez, paio de porco alentejano, salada de três pimentos e queijo de ovelha amanteigado. Para acompanhar quatro variedades de pão - alfarroba, sementes, rústico e bolo do caco.

 

Apesar de se tratar de um bom couvert, há uns "problemas" que se mantêm. O pão, apresentado à mesa apenas por uma vez, não é suficiente para acompanhar o couvert, uma vez que os quatro elementos são, em princípio, degustados com pão, e a salada de pimentos continua a não convencer, o que é pena. 

 

~1440589289~IMG_7592.jpg

 

Sopa de peixe da costa vicentina com lagostim braseado e croquete cremoso de ostra €18,50 - talvez tenha sido problema meu, mas não consegui descortinar o sabor da ostra no croquete... Quanto ao resto, sopa de sabor rico e lagostim no ponto. Muito agradável.

 

17608596_YqHpO.jpeg

 

Vieira e cogumelo silvestre da estação num “À Brás” trufado com tosta fina de pão Alentejano €19,50 - A mesma entrada comida da última vez, e as mesmas emoções, pelo que reproduzo as minhas palavras: A vieira estava no ponto e os cogumelos e "à Brás" estava muito bom. Suave, delicado, trazendo as memórias do tradicional "à Brás", com o toque delicioso dos cogumelos. O crocante da tosta, e o apontamento da tinta de choco, completaram na perfeição este prato.

 

~1440589303~IMG_7594.jpg

 

Salmonete de Setúbal com açorda de berbigão, lulas salteadas e caldo de caldeirada com salada crocante €29,50 - Salmonete perfeito, tal como a açordam mas uma maior dose de açorda (sem exagero, claro), seria aconselhável.

 

~1440589322~IMG_7596.jpg

 

Arroz de Polvo com bivalves da costa alentejana €28,20 - O sabor do arroz de polvo "tradicional", enriquecido pelos bivalves da costa alentejana, juntamente com crocante, conquistou. Muito bom.

 

~1440589315~IMG_7595.jpg

 

Lombo de vaca maturada com duxelle de cogumelos, alface romana grelhada e gnocchis de batata com toucinho fumado e jus do assado - €29,40 - Desta vez o ponto da carne veio perfeito, o que combinado com uma duxelle de cogumelos deliciosa, alface grelhada impecável e maravilhosos "gnocchis", faz deste um prato vencedor.

 

~1440511658~IMG_7593.jpg

 

Cachaço de porco preto montanheiro, guacamole, batata e uma sinfonia de legumes jovens - €29,70 - O ponto alto foi o cachaço, que era verdadeiramente delicioso, mas os outros elementos conseguiram estar à altura.

 

Antes da sobremesa, houve tempo para uma "pré-sobremesa", oferta do Chef - Leite creme de fava tonka com coulis de frutos vermelhos - Muito agradável.

 

Passando para o campo das sobremesas, infelizmente nenhuma deslumbrou. A apresentação é impecável, como todos os pratos de Laffan, mas os sabores, bons, não eram extraordinários. Nota mesmo assim mais positiva para a delícia de morangos.

 

~1440589340~IMG_7600.jpg

 

Brownie de caramelo e flor de sal, calda de chocolate branco e manjericão e um sorbet de Yuzu  €11,50 - A palavra "brownie" devia vir assim, entre aspas...

 

~1440589352~IMG_7601.jpg

 

Duo de cenoura sobre terra de pistacho com espuma de açafrão e gengibre e gelado de mel €11,70 - Não posso deixar de comentar a espuma de açafrão, que sabia, simplesmente, a água com um leve sabor a açafrão. Ora se era isto o pretendido (espero que tenha sido um erro), então considero que este elemento falhou redondamente.

 

~1440589363~IMG_7602.jpg

 

Delicia de morangos sobre biscoitos de amareto e sorbet de ruibardo €11,50

 

Em jeito de conclusão, tenho de ser totalmente honesto e confessar que fiquei ligeiramente desiludido. O espaço é impecável, e ir ao L'and é, e acredito que continuará a ser, uma excelente opção. Mas existe melhor, e perante isso, a vontade de regressar deixa de ser tão grande.

 

O serviço é simpático e atencioso, mas fraco (principalmente face à estrela), sem especial cuidado com a forma como os pratos são servidos e com trocas nos mesmos (apesar do restaurante estar vazio), para além de ser demorado.

 

E os pratos são bons, é certo, e muitíssimo bem apresentados. Mas isso não é tudo. Tem de haver um factor "uau", e isso nem sempre acontece, ou até acontece o inverso, como se verificou com as sobremesas. 

 

~1440589228~IMG_7581.jpg

 

Perante tudo isto, segue a minha nota:

Pontuação de 0 a 10

Cozinha (50%) - 8

Serviço (25%) - 7

Ambiente (25%) - 8

Pontuação final - 7,75

Bons restaurantes na zona do Porto, Amarante e Évora?

restaurante_yeatman_7_1784355510530f2f896120c.jpg

 

Conheço bem a cidade do Porto, que adoro, e os seus restaurantes. No entanto, como a cidade está constantemente em evolução, e não param de surgir bons restaurantes, reconheço que deve haver alguns que desconheço por completo.

 

Sendo assim, alguma recomendação de bons restaurantes na cidade do Porto e arredores? Já tenho reserva no Yeatman, vou aproveitar para dar um salto ao Ferrugem, em Vila Nova de Famalicão, e, pelo que leio, o Flow parece-me bom. Mais alguma ideia?

 

Quanto a Amarante, confesso que não conheço a cidade... Até posso já ter passado por lá quando era mais novo, mas não tenho qualquer ideia. Fiz uma reserva no Largo do Paço, da Casa da Calçada, mas gostaria de ter mais uma ideia para um restaurante na cidade ou nas redondezas.

 

Por fim, Évora é tudo menos uma desconhecida para mim, mas como tenho tendência a almoçar sempre nos mesmos sítios, acabo por não conhecer outros restaurantes. Li opiniões extremamente satisfatórias quanto à Tasquinha do Oliveira, no entanto, o restaurante está fechado em Agosto. Alguma sugestão? Não precisa de ser necessariamente em Évora.

 

Obrigado!