Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Relojoaria El Corte Inglés

 

Sou frequentador assíduo da relojoaria do El Corte Inglés para trocar as pilhas dos nossos relógios e, até agora, nunca tive qualquer razão de queixa. Claro que preferia que levassem um preço mais em conta por cada pilha (mas podia ir a outro sítio mais barato) e gostava que fossem mais precisos no tempo de demora para substituir uma pilha. Se dizem meia hora, é chato que demorem uma hora. Mesmo assim, isso não é nada de especial. 


Recentemente, decidi lá ir para trocar a bracelete de um relógio que comprei no estrangeiro e não tem lojas em Portugal. Paguei €15 pelo orçamento e disseram-me que, se aceitasse o orçamento, esse dinheiro seria descontado ao valor final. Caso contrário, se não o aceitasse, perderia os €15. Concordei e, mais tarde, aceitei o orçamento.


Entretanto, telefonaram-me a dizer que a bracelete tinha defeito e, mesmo fora da garantia, o fabricante suportaria a despesa e oferecia a bracelete nova.


Satisfeito, fui ao ECI para levantar o relógio e perguntei pelos €15. É certo que o dinheiro tinha sido para o orçamento, mas também é certo que ele seria descontado do valor final a pagar. Ora, se eu não ia pagar nada, tinham de devolver os €15. Parecia lógico, mas o funcionário disse-me que não. Confessou que compreendia a situação, mas que nunca tinha tido uma situação daquelas e parecia-lhe que os €15 não deveriam ser devolvidos, até porque alguém tinha de pagar as despesas que o ECI teve com o envio do relógio para arranjo.


Claro que isso não fazia sentido, e manifestei o meu desagrado. Não pedi o livro de reclamações, mas fiz questão de dizer que não concordava. O funcionário disse então que ia falar com a sua responsável, colocar a questão e depois telefonava-me.


É óbvio que me fui embora certo de que:

a) tinha perdido os €15,

b) e não ia receber qualquer telefonema.


Porém, o dinheiro que tinha poupado com a bracelete já tinha sido muito bom, não queria chatices e, mais tarde, passaria por lá para saber se havia novidades. 


No entanto, qual não foi a minha surpresa quando, no fim desse mesmo dia, recebi uma chamada desse funcionário a dizer que tinha falado com a sua responsável e que ela tinha dito para passar por lá para receber os €15.


Num país onde já estamos habituados a ver os nossos problemas e direitos a ser postos de lado, e a maioria faz tudo por se esquecer do que não lhes interessa, nunca pensei que me devolvessem o dinheiro e, muito menos, que me telefonassem. E logo no próprio dia.


Apesar da posterior dificuldade para devolverem o dinheiro, tendo esperado trinta minutos enquanto formalizavam a devolução, aqui ficam os meus parabéns à equipa da relojoaria do ECI por se distinguirem pela positiva.

{#emotions_dlg.blink}

4 comentários

Comentar post