Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

soentrenos

Quatro mil pais agredidos pelos filhos pediram ajuda

 

Confesso que, de vez em quando, há notícias que me deixam de tal forma espantado, que até fico sem saber o que dizer... Tal como aconteceu com esta notícia do Público, que pega nas estatísticas da APAV publicadas esta semana sob o título Crimes de violência doméstica: filhos que agridem os pais 2004-2012, e revela dados verdadeiramente perturbadores.

 

Em média, nos nove anos de trabalho em estudo, a associação recebeu, por dia, pelo menos um pedido de apoio ou uma denúncia relativos a homens e mulheres vítimas dos filhos — sendo que o número de vítimas do sexo feminino (81%) foi sempre, claramente, superior ao número de vítimas do sexo masculino.

 

A tendência tem sido para um aumento das queixas — e, logo, da abertura de processos de apoio. Em 2012 bateu-se um recorde: 608, contra 299 em 2004.

 

Os maus-tratos físicos e os maus-tratos psíquicos são os mais frequentes e representam 60% do total dos crimes relatados. Mas também há casos de ameaças e coacção, de difamação e injúrias, de violação de obrigação de alimentos, de furtos e roubos, de crimes de natureza sexual, entre outros.

 

E se pensam que são só pais de filhos adultos que apresentam queixa na APAV, estão muito enganados. 227 pais (5,7% dos casos) queixaram-se de agressões perpetradas pelos seus filhos menores.

 

Se isto já é mau, é pior ainda saber que apenas um número residual de pessoas avança com queixa-crime.

 

Para todos aqueles que sofrem de qualquer tipo de violência, seja física ou psicológica, a APAV tem uma Linha de Apoio à Vítima (com o número 707200077) e presta apoio psicológico, jurídico e social.

4 comentários

Comentar post