Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Prolongamento da rede do Metro de Lisboa nas Autárquicas

Imagem6.png

 

O prolongamento da rede do Metro de Lisboa tem sido tema recorrente nos últimos anos. Muitos são os que defendem o prolongamento da rede e, de facto, faz todo o sentido que tal aconteça. Continuamos com bairros e zonas não abrangidas pela rede de Metro - como Belém e Campo de Ourique, entre tantos outros casos. 

 

Com as Autárquicas, a discussão ganhou novo impulso, principalmente graças a Assunção Cristas.

 

Decidi então ver as propostas de cada candidato. Deixo aqui um resumo das suas ideias, de acordo com os respetivos programas eleitorais.

 

 

Fernando Medina, PS

Fernando Medina pretende ligar o aeroporto ao Campo Grande e concordou com a proposta do Governo para criar uma "linha circular", que corresponde à construção de duas novas estações na linha verde - Estrela e Santos.

 

Teresa Leal Coelho, PPD/PSD

Se houver condições financeiras para tal, Teresa Leal Coelho é a favor da extensão da linha vermelha a partir de São Sebastião, com estações em Campolide, Amoreiras, Campo de Ourique, Prazeres, Alvito, Santo Amaro, Pólo Universitário da Ajuda, Alto do Restelo, Restelo e Algés, cobrindo assim a zona ocidental da cidade.

 

Assunção Cristas, CDS-PP.MPT.PPM

Assunção Cristas defende a construção, até 2022, das estações da Estrela e de Santos, para interligação das estações do Rato e do Cais do Sodré. Propõe ainda a expansão do metro (ou serviço tecnológico com experiência de utilização equivalente) até zonas de Lisboa sem alternativas eficientes de transporte coletivo e com elevado fluxo diário de automóveis. Desta forma:

 

2018-2025

Construção de uma estação de metro na zona limítrofe do concelho de Oeiras com Lisboa (nomeadamente Algés), escoando os passageiros para o centro da cidade através da expansão da linha vermelha. Este circuito, entre Algés e S. Sebastião, incluirá a construção das estações de Campolide (tornando-a num hub intermodalidade, ligando o metro ao eixo ferroviário Norte/Sul), Amoreiras, Campo de Ourique, Alcântara-Terra, Santo Amaro, Ajuda e Belém.

Deverá ser empreendida a expansão da linha verde, para ligar a estação de Telheiras à estação da Pontinha (incluindo as estações de Fernando Namora, Senhora da Luz e Padre Cruz), e a derivação da linha azul até à estação de Benfica (passando pela estação do Uruguai).

Desenvolvimento da linha vermelha, de forma a interligar a estação do Aeroporto à estação do Campo Grande.

 

2026-2030

Numa fase posterior, a linha vermelha deverá extender-se (a partir de Campo de Ourique) até à estação do Alvito, passando pela estação dos Prazeres.

No que diz respeito à extensão da linha amarela a partir da estação de Odivelas, propõe a construção de estações em S. António Cavaleiros, Frielas e Loures.

Finalmente, a expansão da linha para Oriente, ligando a estação de Moscavide à Portela e esta última a Sacavém.

 

 

João Ferreira, CDU

Jão Ferreira quer apostar na extensão de S. Sebastião a Campolide / Amoreiras / Campo de Ourique / Alcântara e prolongamento da linha verde de Telheiras, sem esquecer a extensão da rede a Loures, bem como a Ajuda, Belém, Alta de Lisboa e Sapadores/Graça, dentro de um conceito de sistema com os restantes operadores.

 

Ricardo Robles, BE

Ricardo Robles considera que o município deve defender a sua expansão para a zona ocidental da cidade, integrando desta forma na sua rede as freguesias de Campolide, Campo de Ourique, Alcântara, Ajuda e Belém. Deverá ser abandonado o projeto de linha circular entre Cais do Sodré e Rato redefinida a estratégia de expansão da rede. 

 

Inês Sousa Real, PAN

A candidata do PAN prentende o prolongamento do Metro de forma a abranger mais áreas da cidade (designadamente Campolide, Alcântara, Ajuda, Belém) e também o prolongamento para os concelhos limítrofes, diminuindo a entrada de veículos na cidade.

 

Joana Amaral Dias, NC

Joana Amaral Dias considera ser fundamental melhorar primeiro as condições do Metro, nomeadamente na sua acessibilidade, e depois melhorar a rede, possivelmente com um metro de superfície. 

 

Quanto aos outros candidatos, não tive acesso aos seus programas eleitorais.

 

Certo é que independentemente de quem for o candidato, o Metro de Lisboa vai aumentar.