Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Mais de 100 piropos em dez horas

Imagem1.png

 

Uma das coisas que mais me incomoda é ouvir piropos na rua lançados por homens a mulheres (nunca ouvi o contrário, mas acredito que também os haja). Lembro-me de ser criança e ficar espantado com a ousadia/estupidez dos piropos e, já adulto, é impossível não me sentir revoltado. E não conheço as mulheres alvo dos piropos, nem sou mulher. Porque caso contrário, sei que a raiva seria ainda pior.

 

Infelizmente, ainda é frequente ouvir homens (e muitas vezes adolescentes) na rua a dizer parvoíces e ordinarices às mulheres que passam. Não sei qual é o seu objetivo (duvido que algum deles venha a ter sorte), mas acho que nem eles pensam nisso. São tão atrasados que nem conseguem perceber que não vão conseguir nada. A não ser que sintam prazer em tentar seduzir uma mulher de uma forma tão degradante. E se for assim, ainda pior.

 

Na semana passada, por exemplo, estava uma rapariga sentada num degrau de um prédio e eu estava à espera que o semáforo dos peões ficasse verde. A rapariga não devia ter mais de catorze anos e estava vestida de forma perfeitamente normal. De repente, oiço dois homens a assobiar. Estavam numa mota, a passar na estrada. No curto espaço de tempo que demoraram a passar à nossa frente, chamaram-lhe vários nomes e perguntaram por duas vezes se ela não quereria subir para o colo de um deles. Dizer que fiquei incomodado foi pouco. E sei que o meu sentimento seria exatamente o mesmo se a rapariga fosse uma mulher adulta ou, em vez de roupa normal, tivesse uma roupa provocativa.

 

A cara da rapariga, como seria de esperar, era uma cara triste. Mas ao mesmo tempo conformada. Como se estivesse habituada a ouvir piropos todos os dias. E se for assim, a dor que sinto é ainda pior.

 

 

A prova dos constantes assédios sexuais na rua às mulheres surge agora neste vídeo, filmado com uma câmara escondida, que acompanhou uma atriz ao longo de dez horas, enquanto passeava pelas ruas de Nova Iorque. Sempre em silêncio e vestida com calças de ganga e t-shirt preta. Nessas dez horas, ela ouviu mais de cem piropos. Foi, inclusivamente, "perseguida" por dois homens. E agora que o vídeo se tornou viral, recebe ameaças de morte e violação.

 

Afinal, em que mundo é que vivemos?

20 comentários

Comentar post