Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Flores? Para mim? Ohhhhhh...

 

A propósito do post de segunda-feira, lembrei-me de uma situação caricata que aconteceu comigo há uns meses. Com um ramo de flores na mão, entrei na Arcádia para comprar chocolate. Assim que entrei, a funcionária que estava ao balcão começou a chamar uma colega. "Vem cá depressa! Rápido!", sussurrou.

 

A colega apareceu e eu, que estava com o ramo de flores na mão e a olhar para as prateleiras à procura do chocolate que queria, ouvi:

 

"Devem ser do teu namorado!"

 

Confesso que, durante uns segundos, fiquei de boca aberta com tamanha confusão. Eu não sei como é que costumam andar os homens que fazem entregas de flores, mas ficaria admirado se me dissessem que andam de fato e gravata... Logo por aí, acho que seria de concluir que eu era um cliente normal e que não ia entregar flores. Além disso, entrei e fui ver os produtos à venda. Ora se estivesse a entregar flores, não perdia tempo a olhar para os chocolates.

 

Mas não. Para elas, era um funcionário de uma florista, ou de uma empresa de estafetas, vestido de fato e gravata, e andava a ver chocolates para oferecer a alguém, antes de entregar o ramo do namorado apaixonado à funcionária sortuda.

 

Com o chocolate escolhido, caminhei para o balcão e olhei para os sorrisos de orelha a orelha estampados nas caras das duas funcionárias. Uma, devia estar encantada com o romantismo do namorado da outra, e invejosa com tamanho ato de amor. A outra, devia estar a pensar como era tão feliz por ser surpreendida com um ramo de flores durante o trabalho.

 

Assim que pousei o chocolate no balcão, e mantive o ramo na minha mão, a expressão das duas mudou drasticamente e, ao sair, pude ouvir as duas a comentar como afinal o não sei quantos não era romântico.

 

Acontece-me cada uma...

{#emotions_dlg.blink}

6 comentários

Comentar post