Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

14
Abr15

Como ver o Masterchef Portugal

Só entre nós

16691593_jSbAE.jpeg

 

Para quem, como eu, é fã do Masterchef Austrália, nenhum outro lhe chega sequer aos calcanhares, nem mesmo o dos Estados Unidos. Aliás, este último tem muito que se lhe diga. Apesar de uma mega produção, tem (regra geral) concorrentes muito competitivos, que chegam a ser de uma agressividade desmedida, e um júri que (apesar das qualidades profissionais que lhes são globalmente reconhecidas) roçam muitas vezes a falta de educação ou, pelo menos, a falta de chá (como quando cospem comida de que não gostam ou quando deitam para o lixo um prato cheio de comida, prato incluído e tudo).

 

E o Masterchef Portugal? Naturalmente, eu nunca esperaria ver uma produção ao nível australiano. Como poderia isso acontecer se não é possível compararmos sequer a dimensão de Portugal com a da Austrália? No entanto, até me parece que o que mais se compara nos dois programas é mesmo a produção. Tudo o resto não tem comparação possível.

 

No júri estão três pessoas, as mesmas da primeira edição, que têm o seu mérito (indiscutível) mas que exigem muita paciência... Tudo isto não passa de uma mera opinião pessoal, tão válida como qualquer outra e sem nenhuma outra intenção oculta. Para mim, o apresentador, Manuel Luís Goucha, ao seu melhor estilo, sempre com um casaquinho "discreto", gosta de se ouvir, e, consequentemente, "obriga-nos" a ouvi-lo dizer "tendes cinco minutos" ou "nos tempos medievos", entre outras expressões que, nada tendo de incorreto, são tudo menos necessárias para falar corretamente nos dias de hoje, e que me deixam "nervosa"... O Chefe Rui Paula, bastante discreto, tem muito pouca presença televisiva e chega a ser um pouco rude na maneira de falar. O Chefe Miguel Rocha Vieira, sempre de narizinho no ar, tem muito mais presença televisiva, sabe falar sem precisar de recorrer ao português arcaico, mas gosta de se evidenciar e, se possível, mostrar que é melhor que todos os outros...

 

Do lado dos concorrentes, a coisa agrava-se e é bem pior. A maioria não jeito nenhum para aquilo, não sabe sequer escalfar um ovo, depenar uma ave ou amanhar um peixe. Ao pé de qualquer um destes concorrentes, os do Masterchef Austrália passariam por Chefes de "sete" estrelas Michelin! Mas enfim, ainda poderíamos esperar que fossem melhorando e chegassem ao final sabendo pelo menos o básico da alta cozinha... O pior é que, salvo raras exceções, é gente muito fraca a vários níveis. Há os falsos, que fingem fazer tudo inocentemente, mas estão sempre a tentar apunhalar os outros pelas costas. Há os infantis, que pensam estar na escolinha primária a fazer amiguinhos e bolinhos para os papás (neste caso para os filhinhos, mas vai dar ao mesmo). Há os convencidos, que pensam fazer tudo muito bem, até melhor que os Chefes de verdade que fazem parte do júri, e que não aceitam qualquer crítica. E há ainda os que não têm qualquer personalidade, pedem opinião aos outros para tudo e, muitas vezes, pedem até as receitas e os ingredientes emprestados!

 

Perante tudo isto, muitos (se calhar todos os que tiveram paciência para ler isto tudo até aqui) estarão já a perguntar: então, porque vês tu o programa? Pois, para quem gosta de cozinha e de programas do género, sendo português, fica difícil de resistir... Quanto mais não seja por mera curiosidade (e também porque me faz rir um bocado). Sim, mesmo sendo uma segunda edição e depois de ter visto a primeira. Mas como ver o programa sem sofrer demasiado? Simples. O segredo é dividi-lo em três partes (coisa que a própria TVI faz por nós) e ver cada uma das partes em dias separados. Sim, nada como aproveitar a magnífica função da televisão por cabo de voltar atrás no tempo, aproveitando a hora de jantar (que coincide em nossa casa com a hora do telejornal) para ver cada uma das partes. As vantagens são tipo champô, dois em um: podemos desfrutar da nossa agradável refeição, ouvindo falar em comida ao mesmo tempo e não quando estamos cheios de fome, e ainda conseguimos uma bela alternativa às desgraças diárias do telejornal!

26 comentários

Comentar post

Pág. 1/2