Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Comer insetos

DSC02796.JPG

 

A propósito do post de terça-feira, foi recentemente publicado no El País uma crónica sobre comer insetos, que aqui reproduzo:

 

Comer insetos

Porque é que ficam escandalizados se alguém comer um gafanhoto, quando mastigam tranquilamente uma anchova?

 

O Chef holandês, Henk van Gurp, tem uma variedade de pratos que inclui alguns insetos entre os seus ingredientes. Esparguete com molho de abelhas, pastel recheado com aranhas ou madalenas de chocolate com vermes.

 

Os insetos, como se sabe, são uma fonte alternativa de proteínas, o que será um verdadeiro alívio no futuro, quando tivermos comido todos os peixes, aves e mamíferos. Duas dúzias de gafanhotos, mais meia dúzia de vermes robustos, equivalem, em termos proteicos, a cinquenta gramas de carne de vaca. Há até alguns insetos que contém ácidos gordos como o ómega 3, os mesmos do salmão.

 

Então para que é que gastamos dinheiro em postas de salmão, quando no jardim do vizinho rastejam e correm insetos cheios de ómega 3?

 

Porém, o que o Chef Van Gurp faz é utilizar os insetos em pratos normais, como o esparguete ou madalenas. Desta forma, concretiza a experiência de se comer uma mosca, mas poupa aos comensais a experiência de olhar “cara a cara” para o inseto.

 

Pelo contrário, nalgumas povoações mexicanas, os gafanhotos são comidos sem qualquer disfarce, com duas mordidas crocantes, como se se tratassem de anchovas. Ora porque é que ficam escandalizados se alguém comer um gafanhoto, quando mastigam tranquilamente uma anchova? Será que consideramos que o gafanhoto, por viver no jardim, é um de nós?

 

Nestas povoações também se comem formigas vivas, assim que capturadas, mastigadas depois a alta velocidade para que não fujam da boca para o pescoço ou orelhas. Tal como nos advertem num restaurante ao dizer “tem molho no bigode”, face a um prato destes não falta quem diga “tens uma formiga nas sobrancelhas”.

1 comentário

Comentar post