Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Ciclistas de algibeira

 

Têm-se visto cada vez mais ciclistas em Lisboa. Não sei se as bicicletas estão em saldo; se os ambientalistas decidiram unir-se e dar a reforma às suas viaturas; ou se está na moda andar de bicicleta e ai de alguém que não siga as novas tendências. 

 

Seja como for, gosto de ver os homens com as molas a prender as calças do fato, a caminho dos escritórios; as mulheres com roupa "super prática" que, mesmo assim, teimam em dar uso à bicicleta com cestinho que viram ser usada por uma blogger qualquer; e aquelas pessoas mais velhas que não andam de bicicleta há quarenta e dois anos, mas acreditam piamente na ideia de que ninguém se esquece como é que se anda de bicicleta, e vão pelas ruas da capital, espalhando-se ao comprido a cada vinte metros (só este mês assisti a duas quedas de pessoas mais velhas à minha frente).

 

O que eu já não gosto, é daqueles ciclistas que se armam em Lance Armstrong ou Rui Costa, e pedalam a alta velocidade pelos passeios e estradas de Lisboa, incomodando os peões e carros que vão, respetivamente, nos passeios e estradas.

 

Mas agora perguntam vocês: se não há ciclovias espalhadas por todas as ruas, ruelas e becos sem saída de Lisboa, por onde é que os ciclistas devem pedalar para ir para o trabalho ou para casa? E eu respondo: não faço ideia. Nem me interessa. Se existem ciclovias, acho lindamente que decidam dar uso aos seus pés e fazer exercício. Mas se não há, saltem de cima do celim.

 

Estou farto, repito, farto, de ir tranquilamente no passeio e ouvir aquela campainha irritante de uma bicicleta atrás de mim. Acho que só me desviei da primeira vez. Desde então, mantenho o meu trajeto normal. Ora, se eu sou peão e estou no passeio, e se o outro está em cima de uma bicicleta também no passeio, quem é que se tem de desviar? Uhmmm... Difícil, não é?

 

E na estrada? Como é bom ir a conduzir e deparar-me com três ciclistas que decidem ir, lado a lado, em vez de seguirem a tão antiga fila indiana, ocupando toda a faixa de rodagem, e obrigando-me a abrandar o ritmo porque, nenhum deles, e ao contrário do que pensam, é tão rápido como o Lance Armstrong ou Rui Costa... Mas eu sei. Estou a ser injusto. Eles vão lado a lado porque querem ir a falar uns com os outros. Pois. Mas eu também quero muita coisa e não posso...

 

Enfim, tudo isto para escrever que adoro ciclistas nas suas ciclovias, e odeio ciclistas fora delas.

{#emotions_dlg.blink}

7 comentários

Comentar post