Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Caesar salad - Osteria Francescana

IMG_0702.JPG

Análises.png

 

Massimo Bottura comeu a primeira Caesar salad (apesar da referência a Caesar, nada parece indicar que se trate de um prato de tradição italiana) em 2005, quando o seu padrasto o convidou para almoçar no Four Seasons, em Nova Iorque.

 

"Nunca viste nada assim.", advertiu o seu padrasto, pedindo a salada. Quando chegou à mesa, o maître começou a preparar o molho à frente deles, juntando os ingredientes um a um, emulsionando-os. Nada irá superar aquele ato teatral, ou a partilha do prato com o padrasto, confessa Bottura.

 

Mas quando regressou a Modena, decidiu recriar a salada, inspirando-se no conto de Hans Christian Andersen "As novas roupas do Imperador", reconstruindo a receita de dentro para fora.

 

IMG_0691.JPG

 

O resultado, obriga a que se saiba de antemão quais os ingredientes que leva uma Caesar salad, senão o que se vê é o caos, afirma Bottura.

 

O prato começa com ervas aromáticas: brotos de mostarda, verduras de mostarda, folhas de mostarda chinesa, pontas de cenoura selvagens, botões de Szechuan, trevos, rue e azeda de madeira.

 

Em substituição da tradicional alface romana, são servidas falsas folhas, feitas de folhas de mostarda e gelatina de óleo de mostarda, combinadas com folhas verdadeiras.

 

Em vez de "parmigiano" ralado sobre a salada é feita uma falsa bottarga (especialidade feita da ova de certos peixes, salgada e seca) feita com ovos embrionários de galinha curados. Os ovos são curados com sal e açúcar, e depois secam ao ar até ficarem duros ao ponto de poderem ser ralados como o queijo (!).

 

IMG_0667.JPG

 

O queijo, por sua vez, assume a forma de wafers crocantes que substituem os croutons tostados.

 

Umas gotas de extrato de anchovas muito intenso, a acidez do vinagre balsâmico e duas gotas de óleo de malagueta completam o prato.

 

No total são 22 ingredientes escondidos num prato aparentemente simples, mas altamente complexo. Se o aspeto, a ideia, e o trabalho, são incríveis, o sabor não é nada de extraordinário. É verdade que sabe bem e que as diferentes texturas e sabores são interessantes, mas, no final, o sabor misturado na boca é o de uma salada temperada com um molho e pouco mais.

 

Semana da Osteria Francescana

- Introdução

- Como chegar a Modena, Itália

- Modena, Itália

- Reservar mesa na Osteria Francescana

- A arte na Osteria Francescana

- O pão e o azeite

- Grissini

- Tosta de parmesão

- Macaron de coelho

- Memórias de uma sandes de mortadela

- Croccantino de foie gras

- Uma enguia subindo o rio Pó

1 comentário

Comentar post