Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Belcanto (2 estrelas Michelin) - A terceira vez (2ª parte)

46eaca94-f797-451c-bcc0-f7f9e727e3bc.jpg

 

Primeira parte - aqui.

 

Retomando a análise ao Belcanto, restaurante com duas estrelas Michelin, chegou a vez de ser servido à minha mulher as "Pataniscas de bacalhau com arroz de feijão encarnado (2014)", que foi o meu terceiro prato do menu. Uma vez que comemos ambos o mesmo prato, farei a análise conjunta. Até porque este foi um dos pontos que mais me desiludiu nesta terceira visita ao Belcanto. O mesmo prato, servido com quinze minutos de intervalo, parecia a noite e o dia em termos de consistência - um dos pontos mais importantes num restaurante deste nível.

IMG_5630.JPG

 

O suposto, e desejado, é que todos os pratos sejam consistentes. Ou seja, que as texturas de todos os elementos sejam iguais, que as temperaturas sejam as mesmas, tal como a apresentação, de forma a que todas as pessoas de uma mesa, por exemplo, tenham pratos iguais e experiências iguais. Parece difícil, mas essa é uma das regras nos restaurantes de excelência.

 

E aqui isso não aconteceu. Eu provei o prato servido à minha mulher, depois comi o meu, e fiquei admirado com a diferença no arroz. Se o dela estava morno, praticamente frio, o meu estava a ferver. Se o dela tinha um sabor extremamente intenso, o meu estava mais suave. E as temperaturas díspares verificaram-se igualmente nos samos de bacalhau. Pode parecer algo sem importância, mas para nós não é, e sei que para José Avillez também não.

 

Para além disso, e agora numa questão mais pessoal, nem eu nem a minha mulher apreciámos a conjugação do sabor intenso do arroz com a delicadeza das pataniscas. Acredito que muitos gostem, e eu gostei de todos os elementos individualmente (principalmente das maravilhosas pataniscas), mas como prato não gostei. 

 

IMG_5634.JPG

 

Depois das pataniscas, a minha mulher teve mais sorte com o "Leitão revisitado, batata frita, laranja e salada (2012)", um clássico do Chef José Avillez que continua e merecer (e bem) um lugar na ementa. O leitão é delicioso, a pele estaladiça, pincelada com o molho de pimenta, convence, o alho negro dá um contraste interessante, a "salada" tem uma textura apropriada para o prato e as batatas fritas (e seu invólucro comestível) dão vontade de repetir. Únicos reparos para as batatas fritas, que poderiam ser em maior quantidade, em contraste com a creme de laranja, que poderia ser apenas um apontamento.

 

Antes de passar às sobremesas dos menus, duas pré-sobremesas:

 

IMG_5635.JPG

 

IMG_5636.JPG

 

Tenho de ser sincero, já não me lembro em que é que consistiam exatamente, mas recordo que eram saborosas, sem nada a criticar.

 

IMG_5638.JPG

 

Em seguida, foi-me servido "Chocolate, banana e amendoim (2014)". Destaque bastante positivo para o "amendoim" e para a diversidade de texturas. Muito agradável.

 

IMG_5637.JPG

 

À minha mulher coube uma das surpresas da noite - "Tangerina (2010)". Já tínhamos comido o "Globo lima-limão", no Mini Bar, mas faltava-nos esta "Tangerina". Fresca e deliciosa. Pouco mais há a escrever, a não há nada a criticar. Excelente.

 

IMG_5639.JPG

 

Para finalizar, o (delicioso) bolo com que o restaurante nos presenteou - muito obrigado.

 

IMG_5640.jpg

 

E alguns amuse-bouche.

 

IMG_5641.jpg

 

Esta foi a crítica que mais me custou escrever. Tal como já mencionei, o Belcanto, para mim, era uma certeza. A certeza de que ia sair de lá com uma sensação de perfeição. E agora já não posso continuar a afirmá-lo. É lógico que poderão contra argumentar dizendo que uma noite não permite tirar grandes conclusões e que todos temos dias em que algo não corre tão bem. E eu posso acrescentar que, o facto de ter visitado em 2014 diversos restaurantes, em Portugal e no estrangeiro, do mesmo nível ou melhores, contribuiu para aumentar o meu grau de exigência.

 

Contudo, e por mais que me custe, não posso deixar de afirmar que fiquei desiludido nesta terceira visita ao restaurante, depois de duas refeições perfeitas. Pelo preço final, prefiro ir a outros restaurantes em Lisboa.