Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Só entre nós

Só entre nós é um blog para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, aquilo de que gostamos ou não, sobre bons e maus momentos, restaurantes fantásticos, viagens fabulosas ou nem tanto... No fundo, sobre tudo.

Casa em Chelsea cheia de quadros | Chelsea house full with paitings

00.jpg


 


 



 

Fortaleza branca no Algarve | With fortress in Algarve

00.jpg


 



 

A loucura de uma reserva no The Fat Duck (e a opinião do Chef sobre os €400 por pessoa)

Fat Duck.png

 

O destino gastronómico internacional 3 estrelas Michelin deste ano já estava escolhido. Depois de em 2014 termos ido ao Azurmendi, em Larrabetzu, Espanha, em 2015 à Osteria Francescana, em Modena, Itália, e El Celler de Can Roca, em Girona, Espanha, e em 2016 ao DiverXO, em Madrid, Espanha, tínhamos decidido ir ao Fäviken, em Järpen, Suécia. Local totalmente inóspito, comida muito diferente daquilo a que estamos habituados, uma viagem previsivelmente espetacular pelo meio da neve...

 

 

Quadro da semana #12 (Pierre-Auguste Renoir)

Renoir.png

 

Autor - Pierre-Auguste Renoir

Título - La Grenouillère

Ano - 1896

Coleção - Nationalmuseum Sweden

 

Ficaram-me aqui os olhos #72

16.JPG

 

Casa da designer Vanessa Macdonald em Oxfordshire Hills | Vanessa Macdonald home in Oxfordshire Hills

00.jpg


 



 

Estrelas na Uber ao estilo Black Mirror

1476082628_Black-Mirror-Season-3.jpg

 

Para quem não sabe, na Uber os clientes podem classificar os motoristas após a viagem com uma estrela de 1 a 5. E os motoristas podem fazer exatamente o mesmo, classificando os passageiros com uma estrela de 1 a 5.

 

Mas esta parte não me choca, porque imagino que existam tantos clientes desagradáveis, mal comportados, e que chamam um Uber e não estão no local certo ou demoram imenso a aparecer, que fazem bem em classificar os passageiros e, desta forma, suspender ou bloquear contas se a nota for muito baixa. 

 

O que me faz confusão é se este sistema se alarga ao resto e passamos a viver numa realidade como a que é retratada no fantástico episódio da série Black Mirror - Nosedive (Em queda livre), onde, no fundo, todas as pessoas vivem preocupadas em agradar todos os que as rodeiam, de forma a obter boas notas e, com isso, poder usufruir de vantagens e não o contrário (más notas, fim de privilégios).

 

No início parece tudo muito bonito, mas depois...

 

Para quem não sabe do que estou a falar, um pequeno vídeo sobre este episódio da série. 

 

 

P.S. Já agora, tenho um rating de 4.94 na Uber (de 1 a 5) e já devo ter feito perto de 100 viagens com a Uber. Se fosse na série da Netflix, tinha de passar a levar uns cupcakes comigo para entregar aos motoristas da Uber. E seria eu quem perguntava se queria uma garrafa de água. E pegava no meu iPhone e punha música a tocar, perguntando se era o estilo de música que gostava, claro. Ah, e levava uma ventoinha comigo em dias de calor e uma botija de água quente em dias frios. Assim lá deveria chegar ao 5. Um pouco de limpa vidros e uma escova, mais um aspirador portátil, seriam um trunfo. Que tal?

A casa de campo de Robin Muir | Robin Muir country home

01.jpg


 



 

7ª Visita ao magnífico Esporão, de Pedro Pena Bastos

IMG_3522.JPG

 

Pedro Pena Bastos ainda nem tem 30 anos e já apresenta um trabalho bem mais maduro e bem conseguido que muitos Chefs mais experientes, com 3 estrelas Michelin ou com lugares cimeiros na lista dos 50 World Best Restaurants. Como é que consegue? Não sei, mas se é preciso ir várias vezes a um restaurante para aferir com exatidão a qualidade do trabalho de um Chef e sua equipa, então considero que estamos mais do que habilitados a fazê-lo.

 

 

 

A heroína dos atentados de Espanha!!!

9KBuGqnY_400x400.jpg

 

Notícia atualizada - Afinal parece que era um homem. Um herói, portanto.

Artigo corrigido às 21h23: ao contrário do que foi inicialmente avançado, as notícias em vários espanhóis que citam a Agência EFE deixam de identificar o agente como uma mulher. - fonte

 

Ainda não se sabe o nome, mas não deve ser segredo por muito tempo. Certo é que uma agente da polícia (sim, uma, no feminino) matou quatro terroristas que se dirigiam para ela cheios de armas. 

 

Uma mulher, sozinha, perante quatro terroristas armados, que tinham acabado de atropelar pessoas em Cambrils, e que caminhavam na sua direção com facas, machados, machetes, cutelos, sacholas e cintos de explosivos, matou os quatro com a sua arma. 

 

Quem o confirmou foi o chefe da polícia dos Mossos, Josep Lluis Trapero, que explicou que ela está a receber apoio psicológico: “Matar quatro pessoas, mesmo que sejas um profissional, não é fácil de digerir”.

 

Absolutamente incrível. Uma heroína e uma lição. Muitos homens ou mulheres seriam incapazes de enfrentar terroristas armados a caminhar na sua direção. E ainda por cima ter a capacidade de matar todos. 

 

Fonte

 

 

Pág. 1/4