Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Dicas sobre o Japão e Coreia do Sul

tokyo-2.jpg

 

Daqui a uns meses vamos ao Japão (Tóquio e Quioto) e à Coreia do Sul (Seul).

 

mt_fuji.jpg

 

Alguma dica ou conselho? Sobre restaurantes, monumentos, atrações, o que fazer e ver, o que não se pode perder, o que não vale a pena ver?

Seul.jpg

 

Todas as informações são preciosas, por isso, muito obrigado!

O teu carro começa a arder e os vizinhos... fogem

bc.jpg

 

Os vizinhos são uma m3rd@!

 

Durante a noite, um carro começou a arder no meio da rua e o carro dos meus sogros, que infelizmente estava estacionado mesmo ao lado, foi também consumido pelas chamas. 

 

Quando a GNR tocou à campainha da casa deles para os alertar do sucedido, a situação não só já era irremediável como, estranhamente, não havia carros à volta. Parecia daquelas noites de festa, ou noites em meses de férias, onde há mais lugares livres do que ocupados.

 

Mas não era nenhum desses casos. Os vizinhos dos meus sogros aperceberam-se do que estava a acontecer, foram retirar os seus carros da rua para não serem apanhados pelas chamas, e nunca foram tocar à campainha deles para os avisar. Sim, nunca...

 

Pergunta/resposta:

  • Mas será que eles não sabiam a quem pertencia o carro?
  • Sabiam perfeitamente. O carro tinha quase dois anos, por isso não era novo, naquela zona (como normalmente em todo o lado) toda a gente sabe tudo sobre todos, todos se conhecem e a GNR foi tocar à campainha porque alguém disse que era ali que moravam os donos de um dos carros.

 

  • Se calhar eles quiseram salvar primeiro os seus carros, o que até é legítimo, e depois apareceu a GNR e decidiram deixar que eles fossem avisar. É capaz de ter sido isso, não?
  • É claro que se eu visse carros a arder na rua, também ia tirar o meu carro de lá o quanto antes. Mas se visse que dava para esperar dois segundos e a casa do vizinho fosse mesmo em frente, como era o caso, pelo menos ia lá tocar à campainha que nem um louco e depois ia tratar do meu carro. E convenhamos, quase ninguém mora sozinho... Enquanto um ia tirar o carro, o outro podia perfeitamente ir avisar.

 

  • Mas se calhar quando os vizinhos viram o incêndio já não havia nada a fazer com o carro dos teus sogros. 
  • Aparentemente não foi nada disso. O primeiro carro começou a arder, os vizinhos aperceberam-se do que estava a acontecer, foram tirar os carros e no entretanto o fogo alastrou-se aos dois que estavam ao lado. A diferença é que o que estava de um dos lados ainda tem salvação porque o dono conseguiu tirá-lo a tempo. Já o dos meus sogros...

 

Perante isto tudo, só consigo concluir duas coisas:

  • Cada vez mais se comprova como a nossa sociedade está podre, com os valores todos trocados, onde a cabeça já não consegue deixar de olhar para o seu umbigo;
  • E aquela história de que é muito bom não viver isolado porque assim podemos contar com a ajuda dos nossos vizinhos se for preciso em alguma emergência, é mesmo uma treta.

As mentiras do Correio da Manhã

img_400x516$2017_01_25_01_24_37_593283.jpg

 

Até me custa escrever Correio da Manhã... Parece que as teclas do meu teclado fogem dos meus dedos para evitar que escreva este nome, e o computador insiste em dar erro quando escrevo "jornal" seguido de "Correio da Manhã". Mas, mesmo assim, não podia deixar de contar aqui o que se passou comigo ontem.

 

Estava numa papelaria, à espera que o empregado, indiano, tratasse de uma coisa que lhe tinha pedido, e entra uma senhora:

"Bom dia, o Correio da Manhã?"

"Já não temos.", respondeu o empregado, com alguma dificuldade a falar português.

Passados uns segundos, novo cliente:

"Onde é que está o Correio da Manhã?"

"Já acabou..."

Mais uns segundos, novo cliente:

"Ainda tem o Correio da Manhã?

"Não, já vendi tudo."

"Ah, então e agora? Estou farta de procurar e já não há o Correio da Manhã em lado nenhum..."

 

Quando voltámos a ficar sozinhos, virei-me para o empregado e perguntei admirado:

"Tanta procura pelo Correio da Manhã! Mas o que é que vinha hoje na capa para ser assim tão procurado?"

Responde o empregado em português com bastante dificuldade:

"Não sei qual era a mentira que trazia hoje, mas devia ser uma mentira muito boa!"

 

Não resisti e desatei-me a rir... Resposta certeira dita por um estrangeiro que está há poucas semanas em Portugal (vim a saber depois). Até quem acabou de chegar a Portugal já conhece a fama do Correio da Manhã! Parabéns, têm feito um ótimo trabalho!

 

A capa do Correio da Manhã de ontem é a que ilustra este post.

Confirma-se, as cartas não sabem nada!!!

Está provado, não restam dúvidas. Senhoras tarólogas, cartomantes, bruxas, videntes, e outras que tais, as cartas não sabem nada! E porquê? Porque o meu querido Sapo não fez destaque do post "Os bruxos/videntes/tarólogos que nada sabem".

 

Para quem não se lembra:

 

Ah, e meu querido Sapinho, as cartas disseram que este post seria destaque... Não deixes ficar mal as cartas, por favor!

 

Como não houve destaque para ninguém... 

Gorden Kaye e as saudades de Allo Allo

gordon_kay_rene_artois_foto_bbc12798ed6_base.jpg

 

Houve séries que marcaram a minha vida e Allo Allo foi uma delas. Lembro-me de ser pequeno, de ver os episódios de Allo Allo e cantarolar o genérico vezes sem conta, ao mesmo tempo que me ria com as histórias hilariantes que se passavam no pequeno café de René e Edith Artois. Podia não perceber parte das piadas, mas era algo que eu adorava. As expressões, os sotaques, as situações caricatas...

 

Mais tarde revi episódios, vi episódios que nunca tinha visto, cantarolei o genérico vezes sem conta,  ri-me com tanto humor inteligente e criativo, emocionei-me no último episódio, lamentei a despedida de atores e personagens e, ainda hoje em dia, dou por mim a rever alguns momentos no Youtube, rindo como ria há tantos anos atrás.

 

Ontem faleceu mais um ator de Allo Allo. O fantástico Gorden Kaye. Mas René Artois não morreu. Continuará para sempre na minha vida, sempre disponível no telemóvel, tablet ou televisão. Ele, a Edith, Yvette, Gruber, von Strohm, Herr Flick, entre tantos outros.

 

Para recordar para sempre, aqui ficam alguns dos meus momentos preferidos de Allo Allo.

 

 

 

 

 

Haja paciência para isto!!!!

business_blog.jpg

 

Mas afinal o que é que se passa com estas "empresas" que diariamente insistem em fazer parcerias com os blogs?

 

Graças a Deus cada um é livre de fazer o que quiser, por isso não critico os responsáveis pelos blogs que aceitam todas e quaisquer parcerias em troca de visualizações e melhorias a nível de SEO. Mas eu já não tenho mais paciência para isto...

 

Todas as semanas lá vem um post que começa sempre todo lamechas.

"Olá, gostámos muito do seu blog, achamos que é perfeito", quando na realidade mal o conhecem e escrevem o mesmo para todos...

 

"Bla blá blá..."

"Somos especialistas em blá blá blá..."

Passa à frente, lê na diagonal...

 

"Achamos que o nosso conteúdo é perfeito para o seu blog, por isso propomos que lhe passemos a enviar posts escritos por profissionais de qualidade..." - Oi, o quê??? Querem passar a escrever no meu blog? Passam a ser vocês a escrever? Se calhar mais vale "fechar as portas" e deixar-vos a tratar do blog sozinhos, não?

 

E, já agora, que treta é essa de posts escritos por profissionais de qualidade? Isso quer dizer exatamente o quê? Que quem escreve os posts no blog não vale nada, por isso é melhor aproveitarmos esta oportunidade única na vida de, finalmente, termos algum conteúdo de jeito no blog?

 

Depois continuam:

"Os posts são escritos de forma a que pareçam que foram escritos por si", Ah, ainda bem... Afinal posso arrumar o teclado a um canto que esta malta trata de tudo e até se passam por nós.

 

"Só tem de colocar um link e nós partilhamos nas nossas redes e com um total de milhões de pessoas" (é sempre algo em grande).

 

Tudo muito lindo. E no fim o que é que acontece? Posts claramente escritos por outras pessoas (não me venham com conversas que se percebe lindamente), sobre assuntos que não fazem sentido no blog, descaracterizando completamente um blog e, no fim, afastando quem o visita.

 

Só entre nós, e uma vez que temos dois blogs, são extremamente frequentes estas propostas de parcerias. E se no Cisco Pisco as propostas são, normalmente, sobre posts de decoração, o que até faz sentido, no Só entre nós já recebemos coisas verdadeiramente sem sentido, como posts sobre sapatos ou outras peças de roupa e jóias. Quem acompanha minimamente o blog sabe perfeitamente que estes posts apareceriam completamente deslocados.

 

E, já agora, propor escrever posts sobre sapatos, enaltecendo as suas únicas qualidades, sem os conheceremos, queixarmo-nos disso mesmo e recebermos em resposta (não tem de os conhecer, diga só que são muito bons e nós damos visualizações) é uma vergonha.

 

Por isso, "empresas" que fazem este tipo de trabalho de escrever posts para os outros, é favor eliminar das suas listas de contactos o Só entre nós e o Cisco Pisco. É que nós já nem lemos estes e-mails.

 

Podemos apenas aceitar convites para ir a qualquer sítio, ou experimentar algo, mas apenas se os posts disserem claramente que fomos a convite e tivermos liberdade para dar a nossa opinião sincera. Tudo o resto, esqueçam. Obrigado!

Os prémios Só entre nós 2016

Prémios 1.jpg

 

Não é só o Mesa Marcada que tem prémios. O Só entre nós também. E não, (ainda) não temos 147 pessoas a votar, mas temos um júri constituído por duas pessoas com enormes conhecimentos nesta matéria. Que, curiosamente, são os dois autores deste blog. Mera coincidência, obviamente.

 

Ao longo dos próximos dias serão divulgados os vencedores, mas deixo já aqui as categorias que foram a votos. Como é óbvio, estes prémios refletem unicamente a nossa opinião que resulta da ida (uma ou mais vezes) aos restaurantes vencedores.

 

Segue então a lista das categorias a votos nos prémios Só entre nós 2016:

 

Maior surpresa

Maior desilusão

Melhor experiência

Melhor menu executivo

Melhor restaurante diário

A garantia

Melhor restaurante estrangeiro

Melhor pizza

Melhor hambúrguer

Melhor prato salgado

Melhor prato doce

Melhor serviço

Melhor Chef

Melhor restaurante

 

Brevemente serão publicados os resultados. 

Os bruxos/videntes/tarólogos que nada sabem

Imagem1.jpg

 

Graças ao meu adorado Youtube, descobri esta pérola que não podia deixar de partilhar. Aparentemente esta senhora chama-se Zila, é taróloga, e oiçam com atenção...

 

 

Ora então vejamos...

"E tem aqui um filho que vai trabalhar para fora!", anuncia a Zila.

"Um filho? Eu não tenho filhos.", responde confusa a espectadora.

"Ou então um irmão mais novo, é um rapaz novo, é um rapaz jovem. Ou então um sobrinho."

"Exato..."

"Tem algum sobrinho?"

"Sobrinhos ainda muito pequenos."

"Pronto, há aqui alguém que vai para fora, as cartas dizem que alguém vai para fora."

"Exato..."

"Alguém ligado a si. 'Tá bem?"

"Está bem."

"Pronto!", termina triunfante.

 

Portanto... Esta senhora, Zila para os amigos, "lançou" as cartas e previu um futuro para o filho da espectadora. Um futuro, curiosamente, comum a cada vez mais portugueses. Qual o problema? É que não há qualquer filho.

 

As cartas disseram filho. Mas... Não há problema. A Zila, que tudo sabe, dá a volta.

 

Filho? Não há. Ok, então irmão mais novo. Nada? Rapaz mais novo. Rapaz jovem. Sobrinho? Nope! Então olhe, alguém vai para fora, ok? Mãe, bisavó, vizinha, periquito, amiga da prima em quarto grau, o veterinário da cadela que faz xixi à porta do prédio, a senhora que estava atrás de si na fila do supermercado... Alguém vai para fora! 

 

Desta forma, a grande Zila consegue pôr as cartas de lado (que falaram num filho!) e prever algo que eu tenho a certeza que é verdade. Alguém, não interessa quem (!) vai emigrar. Quando, como e quem não interessa. Já agora, também tenho uma previsão. Alguém vai morrer. Não sei quando. Não sei como. Não sei quem é. Mas é alguém. 

 

Agora dizem vocês: "As cartas também erram!" ou "As cartas podiam não estar num dia muito feliz. Todos temos dias maus."

 

Muito bem. É justo. Vamos dar uma segunda oportunidade. Com a mesma Zila. 

 

"Mas eles até pensam, eles já pensaram em casar...", afiança Zila.

"Não, eles já casaram!"

"Ah, pronto, ok, porque eu vejo aqui o casamento..."

"Pois..."

"As cartas dão casamento, não é?"

"Não eles já casaram...", continua a espectadora, desiludida, já pensar nos euros que gastou para telefonar.

"Pronto, eles estão a pensar em ter um filho, também..."

"Eles já têm uma filha..."

 

Ups... Infelizmente não mostram a continuação, mas eu estou aqui a lançar as minhas cartas que uso nos jogos de poker (não descriminem, por favor, que todas as cartas são válidas para ver o futuro) e vejo que a Zila saltou da mesa e fugiu a sete pés do estúdio, entrando em seguida num buraco de onde não saiu durante horas cheia de vergonha.

 

Posto isto, pergunto imitando o saudoso Fernando Peça: E esta, hein? Se é para dar destas previsões, então vou ali abrir um "consultório", fazer cartões com "Mestre", "Doutor" e "Professor", e começo já a pensar em coisas que posso dizer que serão sempre verdade. Como por exemplo?

 

A senhora vai comer algo que lhe vai dar uma volta ao estômago. Tenha atenção!

A senhora vai ter uma noite em que não vai dormir muito. 

O senhor vai ter um problema que o vai obrigar a ir ao médico.

Vejo uma viagem na sua vida. Nacional ou internacional.

Estou a ver que vai ter dores nas costas. Cuidado com os pesos.

Alguém vai casar / Alguém vai ter filhos / Alguém vai morrer / Alguém vai adoecer

 

O que é que acham? Avanço com o consultório? Se calhar contacto uma destas tarólogas para ver se o nogócio vai correr bem. É que elas acertam sempre!

 

NOTA: Eu não acredito em bruxos, videntes, tarólogos, cartomantes, "professores", "mestres", magos, astrólogos e toda essa classe que "adivinha" o futuro. Mas isso não quer dizer que não haja quem tenha verdadeiros "poderes" de adivinhação. De forma alguma considero que são todos charlatães. Nem estou a alegar que a pessoa em causa neste post é falsa ou que não merece o nosso respeito. Cada um faz o que quiser, desde que não prejudique os outros, e cada um é livre de pensar o que quiser. Como tal eu não acredito, e acho que estes vídeos só ajudam a não mudar de opinião.

 

Ah, e meu querido Sapinho, as cartas disseram que este post seria destaque... Não deixes ficar mal as cartas, por favor!

Prémios Mesa Marcada 2016

_DSC3388.jpg

 

Mais um ano, mais uma cerimónia de entrega de prémios do blog Mesa Marcada - para mim (e para muitos) o blog gastronómico mais importante em Portugal. Este ano o Só entre nós esteve presente na cerimónia a convite da dupla responsável pelo blog Miguel Pires e Duarte Calvão, e não podíamos, em primeiro lugar, deixar de agradecer pelo convite, e dar novamente os parabéns por todo o trabalho que tiveram e pela ótima cerimónia que conseguiram realizar. Não é qualquer blog que consegue reunir os votos de 147 pessoas, entre chefes de cozinha, responsáveis por restaurantes, jornalistas, bloggers, críticos e gastrónomos, e ter no mesmo espaço os melhores a nível nacional.

 

Parabéns também ao excelente trabalho que a Amuse Bouche tem vindo a fazer na divulgação da gastronomia nacional, e ao Chef Miguel Castro e Silva pela refeição que foi servida. 

 

thumbnail_IMG_0107.jpg

 

Passando aos prémios, destaque evidente para o Chef João Rodrigues, do restaurante Feitoria, com 1 estrela Michelin (sobre o qual escrevemos aqui), que conseguiu destronar o "Rei" José Avillez, vencendo na categoria de melhor Chef e melhor restaurante. Um feito justo e que não surpreende face à qualidade que João Rodrigues e a sua equipa demonstram no Feitoria.

 

O Prémio Especial Estrella Damm Destaque do Ano foi para o LOCO, do Chef Alexandre Silva, com 1 estrela Michelin (sobre o qual escrevemos aqui).

 

O Prémio Especial Graham’s Restaurante Novo do Ano calhou ao Bairro do Avillez, do Chef José Avillez, que já visitámos por duas vezes e ainda não nos conseguiu conquistar totalmente. 

 

O Chef Pedro Pena Bastos foi eleito como Chef Revelação do Ano, sem qualquer surpresa e com enorme mérito. O Chef do fantástico Esporão (sobre o qual escrevemos aqui) tem dado que falar e as suas qualidades e criatividade são inquestionáveis.

 

O Prémio Mesa Diária foi, também sem surpresas, para a Taberna da Rua das Flores, do "Mestre" André, que nunca desilude. É daquelas apostas que não falha.

 

Por fim, destaque positivo para o Chef Henrique Sá Pessoa, do restaurante Alma com 1 estrela Michelin (sobre o qual escrevemos aqui), que subiu 5 lugares e foi eleito como o terceiro melhor Chef de Portugal, e o Alma subiu 4 lugares e ficou em quarto lugar na lista dos melhores restaurantes nacionais.

 

Destaque negativo para a descida do Yeatman, 2 estrelas Michelin (sobre o qual escrevemos aqui), do Chef Ricardo Costa, que desceu um lugar tanto na lista dos Chefs como dos restaurantes, logo no ano em que o Yeatman conseguiu a tão merecida segunda estrela. 

 

Para o ano há mais. Podem consultar as listas completas aqui.

Obrigado Mário Soares!

1e841044aed4e1dfc638b16369647811.jpg

 

Apesar de já ter aqui escrito sobre o luto que fiz nos dias que se seguiram à morte de Mário Soares, não podia deixar de manifestar a minha tristeza e revolta pelo destilar de ódio nas redes sociais e blogs contra Mário Soares. 

 

Ninguém poderá afirmar que Mário Soares era perfeito. Mas quem é que é perfeito? Todos somos seres humanos e, como tal, erramos. E Mário Soares, ao longo da sua longa vida, errou. Se não o tivesse feito era um santo, e duvido que alguém ande a ponderar pedir a sua canonização.

 

Porém, e se é certo que Mário Soares errou, também é certo que não há necessidade de olhar unicamente para os erros e esquecer o que ele fez por todos nós.

 

Não sei se disse para atirar alguém aos tubarões. Não sei se pisou a bandeira de Portugal. Não sei se ofendeu algum clube de futebol e seus adeptos. Não sei se lidou assim tão mal com a descolonização como alguns afirmam. É provável que seja tudo verdade.

 

Mas sei com certeza que quem festeja agora a sua morte já errou, ofendeu alguém e, de certa forma, já criticou / ofendeu / prejudicou a pátria.

 

E sei também que a maioria pouco fez pela História do país, pela garantia da liberdade, pela luta contra um regime opressor e ditador.

 

Mário Soares nasceu numa família com posses. Podia ter ficado no seu canto, ver a vida passar sem grandes chatices. Podia ficar à espera que alguém fizesse aquilo que ele não tinha coragem. Podia esperar que o regime caísse, que houvesse um milagre, que alguém se mexesse.

 

Não tinha necessidade de ter coragem ou ser louco para ir a eleições num regime ditatorial, de ser perseguido, torturado e preso. Não tinha necessidade de fugir do país, regressar anos mais tarde e passar a sua vida a lutar por um país livre e melhor.

 

É esse Mário Soares que devemos recordar e é essa a vida que deve ser enaltecida. 

 

Mário Soares não foi perfeito, mas lutou pelo nosso país como nós não fizemos e provavelmente nunca iríamos fazer.

 

E é por isso que eu digo, e reitero, mesmo que ninguém concorde,

Obrigado Mário Soares!

Pág. 1/2