Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Tu é que és medonho e feio!

image.jpeg

 

Não dá para responder com elevação perante as anormalidades que esta triste alma fez há seis anos...

 

“Muitas vezes digo na brincadeira que os transmontanos deviam fazer uma muralha da China em Trás-os-Montes para não deixarem passar alguma música que vem de lá, porque efetivamente é um prejuízo muito grande para a cultura portuguesa.”

 

“Vêm de excursões pessoas que nunca viram o mar, vêm ao Pavilhão Atlântico, pessoas assim medonhas e feias, desdentadas… E isto não é Portugal.”

 

Notícia aqui

Restaurante Feitoria, 1 estrela Michelin, Lisboa

IMG_4279.JPG

 

Análises.png

 

Chef João Rodrigues, restaurante Feitoria:

Melhor aluno de cozinha

"Chefe Cozinheiro do Ano" em 2007

1 estrela Michelin desde 2013

Distinção "Chef d'Avenir" - Chef do Futuro pela Academia Internacional de Gastronomia, em 2015

Chefe de Cozinha do Ano da Revista Wine 2015

3 "soles" no Guia Repsol

3 garfos no "Lisboa à Prova"

4º lugar entre os Chefs no Top 10 do Preferidos do Mesa Marcada 2015 e 3º lugar para o Feitoria

Garfo de Platina - Boa cama boa mesa, em 2016

Chef do ano - Boa cama boa mesa, em 2016

 

 

Com um currículo destes, seria de esperar que um jantar no restaurante Feitoria fosse muito bom. Por isso mesmo, foi com as expectativas bastante altas que entrei no restaurante. Porém, a verdade foi que fui surpreendido. Tudo foi superado e o jantar foi magnífico.

 

João Rodrigues, que se encontrava presente durante o jantar, demonstrou ser um Chef, acima de tudo, bastante inteligente. É com mestria que João Rodrigues combina ingredientes e, efetivamente, apresenta pratos cheios de sabor aos seus clientes.

 

Não há nada mais desapontante no mundo da gastronomia do que ter à frente um prato muito bem apresentado e os sabores não serem bons ou não ficarem na memória. E João Rodrigues consegue apresentar pratos bonitos, muito bem conseguidos e repletos de (bons) sabores.

 

IMG_4241.JPG

 

O restaurante Feitoria está localizado no Altis Belém Hotel & Spa e apresenta uma vista bonita sobre o rio Tejo e uma sala muito bem decorada e elegante, maioritariamente em tons pretos e dourados.

 

 

IMG_4278.JPG

 

Destaque para os cubos de metal no teto, para a grande garrafeira que ocupa toda uma parede e, claro, para o painel namban na entrada do restaurante, que acolhe os clientes e remete imediatamente para os Descobrimentos.

 

Passando à comida, para além da carta são apresentados 3 menus de degustação, tendo optado pelo menu tradição (€95,00 por pessoa) que, tal como habitual nos menus de degustação, começou com uma série de entradas que nos deixaram rendidos. Para mim foi o melhor início de refeição dos últimos tempos. 

 

IMG_4244.JPG

 

Começámos com uma escultura lindíssima, onde se encontravam três entradas:

 

FullSizeRender (2).jpg

 

Um falso tomate, recheado com tártaro de carapau - suave e delicioso;

 

IMG_4246.JPG

 

Melão e hibiscus - fresco e saboroso;

 

Air baguete recheada com queijo de Azeitão e uma fatia de copita de porco por cima - crocante e incrível, muito bem conseguida.

 

Seguiu-se um momento diferente do habitual. Um dos empregados aproximou-se da mesa com um carrinho onde constavam duas manteigas, azeite e um tabuleiro repleto de pães variados, e falou sobre cada um dos produtos, explicando quais as respetivas origens e características. 

 

IMG_4247.JPG

 

Depois das explicações, foram servidas duas manteigas - uma de leite de ovelha e outra de leite de vaca - acompanhadas por cristais de sal.

 

IMG_4248.JPG

 

O azeite e o pão. Espero não cometer nenhum erro, mas julgo que havia pão com alperce e muesli, com tomate seco, cenoura e salsa, azeitonas... Todos maravilhosos, tal como o azeite e as manteigas, que graças aos cristais de sal ficavam ainda melhores.

 

IMG_4249.JPG

 

Enquanto ainda nos deliciávamos com o pão, foi servida uma reinterpretação do famoso "fish and chips", com um extraordinário crocante de batata salpicado com três tipos de vinagretas. Já à mesa, uma empregada ralou ovas de peixe galo sobre os nossos "fish and chips". Muito, muito, muito bom, com o forte toque aromático das ovas raladas a supreender-me positivamente.

 

IMG_4250.JPG

 

IMG_4251.JPG

 

Ao mesmo tempo, foram servidas umas falsas pedras - batatas de alho negro com uma celebração da Primavera por cima. Enquanto apreciador de alho negro, posso dizer que fui ao céu com estas "pedras".

 

IMG_4256.JPG

 

Antes do menu de degustação propriamente dito, uma oferta do Chef - Arroz cremoso de Alcácer com morangos e flores, perfumado no momento e à frente dos clientes com um "perfume" de rosas e morangos. Mais uma vez o aroma a ter um papel importante no prato, atribuindo também um sabor interessante, que resultava bem com o arroz cremoso e a frescura das flores. Prato muito interessante para servir de limpa palato.

 

IMG_4257.JPG

 

Passemos então ao menu de degustação, que começou com um praticamente perfeito “Como um bacalhau à Brás…”. Só não foi perfeito porque o prato vinha morno, mas os sabores e texturas não poderiam ser melhores. Neste bacalhau à Brás são usados os sames do bacalhau para dar mais textura, gordura e untuosidade. A azeitona é desidratada e transformada em farinha. A batata é cortada à mão para se conseguir uma textura mais fina. A gema é primeiro separada, depois mergulhada em azeite, ligeiramente aquecida e, por fim, peneirada na farinha da azeitona. Para acompanhar, uma emulsão de bacalhau feita à base de caras e línguas de bacalhau para dar sabor, emulsionada com bastante azeite extra virgem (Obrigado João Faria, sem a ajuda da tua dissertação e da entrevista que fizeste ao Chef João Rodrigues não conseguiria descrever este prato de forma tão completa). O objetivo é que o cliente destrua a desconstrução para construir um bacalhau à Brás. E o melhor é que funciona. E muito bem.

 

IMG_4258.JPG

 

Depois do bacalhau, uma surpresa do Chef - Leitão com pele crocante, cogumelos, espargos e amido de batata. Mais um prato extremamente bem conseguido, se bem que o forte sabor avinagrado que por vezes se fazia sentir podia ser demais, apesar do seu propósito, e a pele podia ser ainda mais crocante.

 

IMG_4260.JPG

 

Prosseguindo com o menu - Peixe-Galo, pão alentejano e legumes primaveris. Poderia alongar-me em adjetivos e considerações, mas vou apenas escrever que estava perfeito. Peixe perfeito, açorda suave e agradável e a redução que acompanhava o peixe, feita com cabeças de peixe e carabineiro era tão boa que podiam colocar num copo que eu bebia tudo com satisfação.

 

Antes do último prato salgado do menu, mais uma surpresa do Chef. Um empregado aproximou-se da nossa mesa, com um carrinho onde estava instalada uma prensa, e, enquanto explicava o que estava a fazer, ia esmagando duas cabeças de carabineiro na prensa, e recolhendo os sucos para um recipiente. Esses serviram depois para acompanhar mais um prato irrepreensível - Barriga de robalo enrolada em espargos brancos, acompanhada pelo tal suco das cabeças dos carabineiros e uma "gelatina" (?) de âmbar. Penso que era isso...

 

IMG_4268.JPG

 

Certo é que o prato estava de tal forma irrepreensível, que só me lembrei de fotografá-lo quando já tinha comido uma parte e destruído a apresentação do mesmo. Muito interessante a "parte cénica" sabores espetaculares.

 

Por falar em "parte cénica", o regresso ao menu teve um momento especial e engraçado.

 

Ao centro da mesa foi colocada uma brasa, sobre a qual foram depositadas algumas gotas que fizeram levantar uma nuvem de fumo, preenchendo a mesa com o aroma de carne assada.

 

IMG_4269.JPG

 

No prato, a “Matança do Porco…” - Presa Ibérica, coração de alface grelhada e jus de alho negro. Muitíssimo bom, com um jus extremamente forte e, mais uma vez, delicioso. 

 

FullSizeRender.jpg

 

Continuando com os efeitos especiais, "Flocos de neve de carqueja e menta". Devem ser colocados imediatamente na boca e devemos deixar que os "flocos" derretam lentamente em cima da língua (que fica ligeiramente queimada) ao mesmo tempo que vamos libertando "fumo" pelo nariz. É difícil explicar, mas para quem está a observar, quem tem os flocos de neve na boca parece um dragão a deitar fumo pelo nariz.

 

IMG_4276.JPG

 

Como sobremesa, foi servido "Maçã, nozes, mel e iogurte". Sobremesa muito agradável mas eu sou daqueles que defende que uma sobremesa (em Portugal) deve seguir a tradição e ser essencialmente doce, algo que esta não é. Mas estou a par da tendência e até compreendo que se tente prolongar o menu sem haver uma mudança brusca.

 

IMG_4277.JPG

 

A parte mais doce ficou reservada para as mignardises. Todas deliciosas.

 

Resta ainda comentar que o serviço foi, ao longo de toda a refeição, perfeito. Único ponto negativo - todos os pratos foram servidos ao mesmo ritmo (rápido, como gosto), mas entre a matança do porco e os flocos de neve passaram 35 minutos... 

 

IMG_4262.JPG

 

Para terminar, os meus parabéns a toda a equipa e, em especial, ao Chef João Rodrigues pelo magnífico trabalho. A criatividade está presente, mas sem prejuízo dos sabores. Merece, sem qualquer dúvida, uma segunda estrela, pois em comparação com outros estrelados em Portugal está noutro campeonato.

 

Prometemos regressar, desta vez para o menu criativo.

 

Pontuação de 0 a 10

Cozinha (50%) - 9,7

Serviço (25%) - 9,9

Ambiente (25%) - 9,7

Pontuação final - 9,75

Parabéns Benfica!!!

image.jpeg

 Parabéns Glorioso!!!

Belcanto, eleito o melhor restaurante do mundo!

Imagem1.png

 

A Condé Nast Traveler elegeu o restaurante Belcanto, de José Avillez, como o melhor restaurante do mundo!

 

Parabéns ao Chef José Avillez e a toda a equipa do magnífico restaurante Belcanto. Podem ler aqui a análise à nossa última visita ao restaurante em março deste ano.

Lisboa em 2017? Veja como vai ser.

00.png

 

Da minha janela acompanho, diariamente, as obras que vão sendo feitas, a grande velocidade, em Lisboa. E, ao contrário de muitos, estou satisfeito com o que está a ser feito. É verdade que Lisboa parece um estaleiro gigante, e que as obras atrapalham o trânsito e até os passeios, mas tudo isto terá um resultado final que me parece ser bastante vantajoso. Todos ficaremos a ganhar. E daqui a um tempo já ninguém se lembra das obras.

 

01.png

 

02.png

 

03.png

 

04.png

 

05.png

 

06.png

 

07.png

 

08.png

 

09.png

 

10.png

 

11.png

 

12.png

 

13.png

 

14.png

 

15.png

 

16.png

 

17.png

 

18.png

 

19.png

 

20.png

 

21.png

 

22.png

 

23.png

 

24.png

 

Imagens retiradas de um e-mail que me foi enviado e que tem estado a circular por várias pessoas.

Restaurante Eleven (mais uma vez), 1 estrela Michelin

IMG_3891.JPG

 

Análises.png

 

Só entre nós, dificilmente haverá um restaurante mais consistente em Lisboa do que o restaurante Eleven, de Joachim Koerper, detentor de 1 estrela Michelin. Já não sei quantas vezes lá fomos, e já desisti de escrever posts sobre todas as visitas ao restaurante, mas não podia deixar de publicar mais um maravilhoso almoço que lá tivemos recentemente. É que tal como comecei por escrever, se tivesse de escolher uma palavra para caracterizar o Eleven, seria consistência. Porque é, de facto, o que nos é apresentado. Consistência da excelente qualidade, consistência no serviço cuidado, simpático e profissional, consistência no ambiente discreto e relativamente casual...

 

IMG_3886.JPG

 

Ir ao Eleven é ter a certeza que vamos ter uma excelente refeição. Não precisamos de saber quais são os pratos com antecedência e, curiosamente, mesmo que os pratos tenham ingredientes/combinações à partida menos agradáveis, a verdade é que o resultado final é sempre extremamente positivo. Pelo menos para nós.

 

O Eleven é dos poucos restaurantes onde nunca nos desiludimos e, talvez ainda mais importante, onde saímos sempre surpreendidos.

 

Ainda por cima, como já escrevi mais do que uma vez, a relação preço/qualidade é surreal. Pagar 31,5€ por um menu completo de almoço com aquela qualidade é perfeito.

 

Imagem1.png

 

Manteiga e alguns dos pães servidos

 

IMG_3893.JPG

 

Salmão curado com puré de couve flor, rúcula e beterraba

 

IMG_3895.JPG

 

Ceviche de peixe da nossa costa com bivalves

 

IMG_3896.JPG

 

Polvo algarvio com favas e emulsão de chouriço

 

IMG_3898.JPG

 

Barriga de porco com couscous, molho vierje e jus

 

IMG_3904.JPG

 

Ananás, coco e doce de leite

 

IMG_3912.JPG

 

Mignardises

 

IMG_3892.JPG

 

Tudo perfeito, ou a rondar a perfeição, com o toque final genial de Joana Abreu Gonçalves.

 

Nota final para quem tem filhos. Já lá levámos por quatro vezes o nosso filho (agora com 10 meses), sempre ao sábado à hora de almoço, e nunca houve qualquer problema, ou olhar menos agradável, nem quando pedimos para aquecer a sua comida.

Lisboa-Nova Iorque praticamente de graça... Será mesmo?

galeria-nova-york-aerea01-creditos-thinkstock-1553

 

Todos sabem que a internet está repleta de publicidade enganosa. Desde alimentos/produtos miraculosos, falsos antes e depois, a investimentos que rendem milhões com apenas uma moeda de 1 euro. No entanto, continuo a ficar surpreendido com alguma publicidade. Como esta, da eDreams:

 

FullSizeRender.jpg

 

19€??

 

A sério? A e vende bilhetes entre Lisboa e Nova Iorque por preços que começam em 19€?

 

Nem na época mais baixa, e com a maior antecedência possível, seria possível comprar um bilhete de avião entre Lisboa e Nova Iorque por apenas 19€. E mesmo que isso fosse viável, o preço final nunca ficaria em 19€. Há sempre alguma taxa ou tarifa que aparece no fim. Porém, a verdade é que a publicidade vai aparecendo em todos os sites por onde vou passando, graças aos maravilhosos cookies.

 

E, desta forma, tenho a certeza que muitos carregam no link para saber mais. Ou seja, a publicidade, mesmo que seja descaradamente enganosa, continua a funcionar. E continuará, enquanto não houver ninguém que ponha um travão.

 

Fica a denúncia.