Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

soentrenos

Victoria & Albert Museum, Londres

IMG_0679.JPG

 

É um dos nossos museus preferidos, fica na sempre charmosa cidade de Londres e é considerado o maior museu de arte e design. Como se isto não fosse suficiente, a entrada no V&A (para os amigos) é gratuita. Coisa de país desenvolvido...

IMG_0692.JPGIMG_0676.JPG

IMG_0680.JPG

IMG_0681.jpg

 

 

Crumble de diospiros

DSC02255.JPG

 

E para terminar a série de receitas de crumble, nada melhor do que dar uso aos deliciosos diospiros que enchem os supermercados e fazer um crumble de diospiros.

 

Ingredientes para duas pessoas:

- 35 g de manteiga ou margarina
- 75 g de farinha
- 30 g de açúcar amarelo
- 1 diospiro grande ou 2 pequenos
- canela

 

Comece por cortar em fatias o diospiro descascado para dentro de dois pequenos recipientes que possam ir ao forno. Polvilhe com canela.

Derreta a manteiga, ou margarina, por 30 segundos no microondas.

Junte num recipiente a farinha, açúcar e manteiga, ou margarina, derretida (não faz mal se ainda estiver quente) e vá misturando e apertando com os dedos até obter uma mistura granulada (o crumble).

Coloque a mistura sobre os diospiros, cobrindo os recipientes.

Leve ao forno a 180º durante 25 minutos.

 

Outras receitas de crumbles:

Crumble de maçãs e nozes

Crumble de morangos

Crumble de cerejas

Cidade Proibida, Beijing - Pátio interior

DSC_1137.jpg

DSC_1138.jpg

DSC_1140.jpg

 

 

A declaração de Sócrates, na íntegra

socrates.jpg

 

Porque não sou dos que julga sem julgamento, porque não tenho provas que me levem a pensar de outra forma, e porque acho que todos têm direito à defesa, reproduzo na íntegra a declaração de Sócrates:

 

Há cinco dias “fora do mundo”, tomo agora consciência de que, como é habitual, as imputações e as “circunstâncias" devidamente seleccionadas contra mim pela acusação ocupam os jornais e as televisões. Essas “fugas” de informação são crime. Contra a Justiça, é certo; mas também contra mim.

 

Não espero que os jornais, a quem elas aproveitam e ocupam, denunciem o crime e o quanto ele põe em causa os ditames da lealdade processual e os princípios do processo justo.

 

Por isso, será em legítima defesa que irei, conforme for entendendo, desmentir as falsidades lançadas sobre mim e responsabilizar os que as engendraram.

 

A minha detenção para interrogatório foi um abuso e o espectáculo montado em torno dela uma infâmia; as imputações que me são dirigidas são absurdas, injustas e infundamentadas; a decisão de me colocar em prisão preventiva é injustificada e constitui uma humilhação gratuita.

 

Aqui está toda uma lição de vida: aqui está o verdadeiro poder - de prender e de libertar. Mas em contrapartida, não raro a prepotência atraiçoa o prepotente.

 

Defender-me-ei com as armas do estado de Direito - são as únicas em que acredito. Este é um caso da Justiça e é com a Justiça Democrática que será resolvido.

 

Não tenho dúvidas que este caso tem também contornos políticos e sensibilizam-me as manifestações de solidariedade de tantos camaradas e amigos. Mas quero o que for político à margem deste debate. Este processo é comigo e só comigo. Qualquer envolvimento do Partido Socialista só me prejudicaria, prejudicaria o Partido e prejudicaria a Democracia.

 

Este processo só agora começou.

 

Évora, 26 de Novembro de 2014

José Sócrates

A propósito do Chef que lambia dedos...

5366695.jpg

 

Num post recente do Mesa Marcada, li sobre um cozinheiro de um restaurante que ia lambendo os dedos à medida que os ia sujando:

 

Almoço de hoje, restaurante com cozinha à vista, fui olhando. O cozinheiro de luvas, mas a certa altura ficaram sujas com um molho... lambeu a luva e continuou a cozinhar. Daí a pouco reparei que só tinha uma luva e vi-o lamber os dedos de novo para os limpar daquilo em que tinha mexido antes, e continuou a mexer na comida. Passado um bocado já não tinha luva nenhuma, mas os dedos eram de vez em quando levados à boca.

 

Vieram trazer-me o prato e eu disse a quem o trouxe: Diga ao seu colega que não lamba os dedos enquanto cozinha. Resposta pronta (com um ar meio paternalista, meio arrogante): Ele tem que provar a comida.

 

Pior a emenda que o soneto... nem vale a pena comentar mais.

 

Felizmente, nunca vi nenhum cozinheiro, Chef, ou afim, a lamber os dedos enquanto ia cozinhando, porque se o visse tenho a sensação que me levantaria e ia embora ou, pelo menos, não sairia sem falar com os responsáveis sobre o que tinha presenciado.

 

Porém, não sou assim tão ingénuo ao ponto de pensar que isso nunca aconteceu em nenhum dos restaurantes onde fui ao longo da minha vida, desde as tascas de bairro aos restaurantes com estrelas Michelin e lugares cimeiros nos tops mundiais.

 

Sei bem que já comi ingredientes tocados por mãos sujas e lambidas, para além de mexidos por utensílios de cozinha igualmente lambidos e/ou não lavados.

 

O mesmo se passa com pratos / copos / talheres / guardanapos mal, ou precariamente, lavados, sem falar nos produtos que caem ao chão e é seguida a regra dos 5 segundos, ou alimentos sensíveis que estão fora do frio tempo demais (ou congelados e descongelados mais do que uma vez).

 

Porém, e por mais estúpido que possa parecer para alguns, uma coisa é não dar por nada, e outra bem diferente é ver o Chef, ajudante ou empregado a não cumprir algumas das mais elementares regras de higiene (e boa educação, diga-se de passagem). Ainda por cima, quando a cozinha está aberta para a sala...

 

A situação descrita pela Paulina Mata, do Mesa Marcada, tem tanto de incrível, como inaceitável, apesar de não ser novidade para ninguém. E a justificação do empregado de mesa é ainda mais surreal... E triste.

 

Infelizmente, ou felizmente, não sabemos qual o restaurante em causa no post referido, mas era bom que estes posts servissem para abrir os olhos de alguns. Pelo menos, dos responsáveis. No fundo, era importante que ninguém fizesse aquilo que não desejava que lhe fizessem. E cumprisse com as regras de higiene. Nada de extraordinário, pois não?

 

Ah, e já agora, as regras de higiene não devem ser limitadas às cozinhas dos restaurantes. Já perdi a conta às vezes que encontrei empregados de restaurantes e cozinheiros nas casas de banho dos centros comerciais, devidamente fardados e, com certeza, ao serviço, a sair satisfeitos sem sequer passar as mãos por água...

 

Haja, pelo menos, decência, higiene e respeito.

Casas #6 (Berlim)

Casas-barco, Berlim

 

Boat-Homes-in-Berlin-02-850x480.jpg

Boat-Homes-in-Berlin-03-850x478.jpg

Boat-Homes-in-Berlin-04-850x478.jpg

 

 

Espécie de Vizinhos - Mãos de manteiga

Mãos de manteiga.png

 

Espécie de vizinhos que, tal como a espécie Sedutoras pelo ar, tem como principal característica deixar cair coisas. Porém, não é só roupa que esta espécie deixa cair, nem as peças de roupa se resumem a lingerie. Os vizinhos pertencentes a esta espécie deixam cair um pouco de tudo. Panelas, cadeiras, caixas, martelos, telefones, livros, entre tantos outros objetos.

 

A diferença, face às outras pessoas, é que o ato de deixar cair coisas ao chão é repetido com bastante frequência, e é raro o dia em que os vizinhos de baixo, as vítimas, não possam ouvir o chão a ser martelado com mais algum objeto.

 

O não tratamento destes espécimes pode levar à ondulação progressiva do parquet, graças à queda repetitiva de coisas.

 

De acordo com relatos de algumas vítimas desta espécie, as mãos tornam-se mais escorregadias ao final do dia, e os objetos chegam a cair em plena madrugada, o que leva a crer que grande parte desta espécie tem insónias.

 

O método de tratamento mais recomendado, passa por oferecer luvas aos membros desta espécie, ou almofadar toda a casa.

 

Mais espécies de vizinhos, aqui.

L'éclair, Pâtisserie Française

DSC02235.JPG

 

Localizado na Duque de Ávila, em Lisboa, o L'éclair Pâtisserie Française promete trazer para Lisboa os verdadeiros éclairs. Foi, por isso, com grandes expectativas que passei por lá e escolhi dois éclairs. 

 

DSC02239.JPG

 

O éclair de caramelho era excelente. Não muito doce e delicioso.

 

DSC02240.JPG

 

Já o grand cru com chocolate negro deixou um pouco a desejar. O recheio era enjoativo e, estranhamente, sentiam-se grãos de açúcar, o que foi um pouco desagradável.

 

De resto, o espaço é elegante e agradável, e o serviço bastante simpático. O pior é mesmo o preço... Demasiado elevado para a qualidade apresentada.

Fiat 500X

Imagem1.png

 

Ao contrário de muitas pessoas, até gosto de publicidade. Bem feita, claro. E, felizmente, existem excelentes exemplos de publicidade inteligente e cativante, que conseguem evitar que o dedo, nervoso, carregue no botão para mudar de canal.

 

O anúncio ao Fiat 500X é um dos exemplos de publicidade inteligente, à qual é junta uma boa dose de humor.

 

 

Crocante de espinafres com ovos escalfados e presunto

DSC_3716.jpg

 

Delicioso e surpreendente.

 

Ingredientes para 4 pessoas:

- 500g de folhas de espinafres
- 4 folhas de massa brik
- 4 ovos
- margarina
- sal e pimenta

 

Comece por cozer as folhas de espinafres em água com sal, escorrendo-as bem no fim, e por escalfar quatro ovos.

Com os ovos escalfados e espinafres cozidos e escorridos, abra as folhas brik e pincele-as com margarina derretida.

Divida os espinafres pelas folhas, acrescente um pouco de presunto e um ovo escalfado.

Dobre as laterais tipo trouxa e leve ao forno até ficarem dourados, com a gema do ovo mal cozida. 

Pág. 1/7