Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

soentrenos

Pasta de atum

 

Só entre nós, não tem nada que enganar, é delicioso e fica pronto em poucos minutos. Vamos experimentar?

Ingredientes:
- 2 latas de atum
- maionese q.b.
- 1 chalota ou metade de uma cebola pequena
- salsa
Esmague bem com um garfo o conteúdo de duas latas de atum e junte a chalota, ou metade da cebola, picada.
Acrescente maionese e vá mexendo até obter a consistência de uma pasta.
Por fim, adicione a salsa cortada e já está.
Simples, não é?

Ramo de flores + homem = acidente de carro

 

Que título mais confuso... Ramo de flores + homem = acidente de carro? Eu sei, mas tem uma explicação. Um homem com um ramo de flores na mão, é igual a um acidente de carro. Porquê? Porque a atitude das outras pessoas com quem esse homem se vai cruzando é igual à atitude das pessoas que passam ao pé de um acidente de carro. Senão vejamos:

 

-    Muitos param e ficam a olhar;

-    É motivo de conversa com os outros ao lado;

-    Aqueles que não param contorcem-se todos para ver melhor;

-    E enquanto observam, fazem o orçamento à coisa.

 

E não, não estou a exagerar. O motivo porque não compro tantas flores como gostaria, é por causa dos olhares da maioria das pessoas com que me cruzo na rua. O que, para mim, não faz qualquer sentido. Qual é o grande espanto em ver um homem com um ramo de flores? Será assim algo de tão transcendente?

 

É lógico que não. Mas a verdade é que muitos, mesmo muitos, são aqueles que param ou viram-se ao contrário para ver melhor as flores que levo e comentam o ramo com os outros. Felizmente, os únicos comentários que consegui ouvir relacionados comigo (porque a maioria são sussurros) foi de uma senhora na rua que comentou para a outra "que romântico", e outra que disse que as flores eram muito bonitas.

 

Porém, já pude ouvir uma mulher a comentar as flores que um outro homem levava dizendo "podia levar mais duas rosas que não lhe custava assim tanto."

 

E estou mesmo a ver que muitos dos pensamentos são desse género:

-    Podia ter escolhido um papel mais bonito;

-    Doze rosas? Isto só é romântico a partir das duas dúzias;

-    Deve ter feito das bonitas para agora levar flores;

-    Não gastou mais de dez euros naquilo. Pelintra;

-    Lá vai aquele com flores. Não sabe, oferecer mais nada, que falta de criatividade!

 

Enfim, isto para escrever que é lamentável que um homem com um ramo de flores na mão desperte tanto interesse como um acidente de carros.

{#emotions_dlg.blink}

Está escolhido. Ponto final.

 

Está escolhido. Ponto final.

 

Sim, está escolhido e, sem grandes surpresas, venceu quem devia, quem merecia e de quem o país mais precisa. Porém, e antes do ponto final, acho que seria interessante analisar as percentagens (ainda provisórias). Não me refiro aos quase 70% de Costa a nível nacional, aos 86% nos Açores ou 87% em Lisboa. Até o Seguro sabia que ia ser assim.

 

O mais espantoso, foram os 45% de abstenção nos Açores, 52% na Madeira, 58% na Europa e 72% fora da Europa. No total, houve cerca de 30% de abstenção. E isto é que é de estranhar e de analisar, especialmente quando se trata de eleições onde a maioria se inscreveu porque queria votar.

 

Tiveram o trabalho de se inscrever nas eleições e depois ficaram em casa? Claro que ninguém está livre de se ver impossibilitado de fazer algo por forças maiores. Mas isso aconteceu com as 73959 pessoas que não votaram? Ou será que as 73959 pessoas que não votaram são todas militantes e não quiseram votar porque não lhes apeteceu? É lógico que não. 

 

Numas eleições primárias, onde vota quem paga as suas quotas e quem se inscreve para votar, a percentagem de abstenção deveria ser irrisória. Mas não foi. Só entre nós, acho que a abstenção já está tão incutida nos portugueses, que até neste tipo de eleições a percentagem é grande.

{#emotions_dlg.blink}

Criança adulta

 

Serei o único a achar descabido ver uma criança de quatro anos com verniz laranja nas unhas, lábios com batom vermelho, blush nas bochechas, rímel nas pestanas, sombra azul nos olhos, madeixas loiras nos cabelos, falsas tatuagens nos braços e pernas e calções extra curtos? Não, não estou a falar da menina que aparece na foto que ilustra este post, mas noutra que vi recentemente na rua.

 

Eu sei que as meninas, normalmente, adoram maquilhagem e querem parecer iguais às mães (e, a que eu vi, era uma mini versão perfeita da mãe), mas não terão as meninas tempo suficiente para crescer e, mais tarde, usar maquilhagem e roupa adequada à sua idade?

 

Haverá necessidade de estar a incentivar um estilo vulgar e promíscuo deste tão cedo?

{#emotions_dlg.blink}

Cozinha Divina, Chakall

 

Eleito pelo Gourmand World Award como o mais inovador livro de culinária, o melhor livro de culinária português e vencedor do prémio especial do jurí - O melhor dos melhores - é indiscutível a qualidade do livro "Cozinha Divina", de Chakall.

 

A meu ver, o mais interessante é mesmo a originalidade e diversidade das receitas, trazidas dos quatro cantos do mundo. E quem melhor do que o viajante Chakall para nos trazer receitas de todo o lado? Receitas de pratos italianos, árabes, orientais, argentino, indianos, espanhóis, da América do Sul, África... Não faltam boas opções para diversificar os nossos menús diários.

 

As receitas dividem-se nas fases da vida de Chakall: A criança - brincar a cozinhar; O viajante - a comida que viaja; e O apaixonado - a cozinha profissional.

 

De realçar ainda as histórias contadas, como a receita mais estranha que Chakall comeu, a coisa mais saborosa que já cozinhou, mas que o leitor dificilmente poderia fazer ou a receita mais estranha que cozinhou.

 

As fotografias são muito bonitas e cuidadas, completando na perfeição este livro.

{#emotions_dlg.blink}

Unhaca


Regressando ao assunto das unhas, existe alguma razão lógica para manter a unha do dedo mindinho doze vezes maior do que as outras? É uma questão de estilo?

 

P.S.: lamento a utilização de uma foto tão horrível, mas é a que melhor descreve o assunto...

{#emotions_dlg.blink}

Morangos com vinagre

 

Confesso que não fiquei o maior fã desta receita, mas como somos todos diferentes, nada como deixar-vos esta receita de Ferran Adrià para experimentarem.

 

Ingredientes para 2 pessoas:

- 10 morangos

- 2 colheres de sopa de vinagre de vinho tinto (ou vinagre balsâmico)

- 3 colheres de sopa de açúcar

- 1 colher de sopa de água

 

Derreta o açúcar numa panela até obter um caramelo escuro. Quando estiver no ponto desejado, retire do lume e acrescente, com cuidado para não se queimar, uma colher de sopa de água quente. Mexa, sem parar, até que o caramelo arrefeça.

 

Quando o caramelo estiver frio, junte o vinagre e mexa bem. O objetivo é obter um caramelo ligeiramente denso. Coloque no frigorífico enquanto prepara os morangos, retirando os pés e cortando-os aos meios.

 

Por fim, coloque os morangos cortados na mistura do caramelo e vinagre, e deixe macerar por uma hora no frigorífico.

{#emotions_dlg.blink}

Tem 70, mas parece ter 16 anos

 

 

A propósito do post de ontem sobre o visitante 1.000.000, também era excelente se acabassem com os anúncios miraculosos a produtos que nos fazem parecer bebés acabados de nascer, quando já temos quarenta anos em cada bochecha. Haja paciência...

{#emotions_dlg.blink}

Laugh track

 

Não sou o único a desejar que as séries deixem de ter aquelas irritantes laugh track, pois não? Já não há paciência para gargalhadas de tirar o fôlego, quando a piada só dá, no máximo, para esboçar um tímido sorriso.

{#emotions_dlg.blink}

Parabéns, é o visitante 1.000.000

 

 

A sério, quando é que vão deixar de aparecer aqueles anúncios irritantes, que piscam e tremem por todo o lado, a dizer que somos o visitante ou leitor 300.000 e que por isso temos direito a um carro, telemóvel ou outra coisa qualquer?

 

Já toda a gente sabe que aquilo é mentira! Mas, mesmo assim, insistem na charlatanice. E agora até dizem "Acredite, é mesmo verdade! Não é piada É mesmo o seu dia de sorte!" A sério? Dia de sorte? Só mesmo quando deixarem de aparecer estas informações.

{#emotions_dlg.blink}

Pág. 1/7