Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Só entre nós

Só entre nós é um blog só para nós. Para escrevermos sobre aquilo em que pensamos, sobre o que gostamos, ou não, sobre viagens fabulosas, restaurantes, pessoas que admiramos, ou que nos deixam os cabelos no ar, livros lidos e muito mais.

Só entre nós

10 milhões de euros para investir?!

500.jpg

 

Há uns dias fui com um cliente a uma agência de um banco em Lisboa onde tem cerca de 10 milhões à ordem.

 

Como é francês, e apesar de eu poder ajudar na tradução, foi solicitada com antecedência a presença de um funcionário do banco que fosse fluente em francês.

 

Resultado?

Apareceu um funcionário (vindo de outra agência) que conseguia falar mais ou menos francês, com umas palavras em inglês e português pelo meio. 

 

Depois de conseguir convencer o cliente a não sair da agência e retirar os 10 milhões da conta, explicando que mesmo assim o senhor lá se conseguia desenrascar com o francês, o funcionário do banco começou a apresentar várias brochuras e papéis com sugestões de investimentos para os 10 milhões.

 

Curiosamente (ou talvez não), não havia um único papel em francês. Nada. Ou estavam em português, ou em inglês. Duas línguas que o cliente não falava. 

 

Ou seja, apesar da reunião ter sido marcada com uma semana de antecedência, e de ser explicado que era preciso alguém que falasse francês pois ele não falava outra língua, o banco apresentou um funcionário que arranhava o francês e levava documentos ilegíveis para o cliente.

 

Cliente este que, repito, tinha 10 milhões na conta para investir. 

 

Ora quando um banco nem tem a preocupação de "agarrar" um cliente com tanto dinheiro (e com muitos outros milhões espalhados pelo mundo), não é de admirar quando nós, meros mortais comuns, vamos ao banco e sentimos que estamos a fazer um favor ao banco por ter lá o nosso dinheiro. Não é admirar que pareça que não há grande interesse ou vontade de ajudar.

 

P.S. O cliente ainda não retirou o dinheiro, mas duvido que lá fique muito tempo. Podia transferir uma parte para a minha posse que eu com esses milhões podia fazer de banco e até arranjar uns investimentos interessantes.